Maia fala sozinho ao defender Temer para 2018

-

Coluna do Estadão

31 de julho de 2016 | 18h36

Rodrigo Maia. Foto: Sidney Lins/Liderança dos Democratas na Câmara

Rodrigo Maia. Foto: Sidney Lins/Liderança dos Democratas na Câmara

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), ficou falando sozinho ao lançar a candidatura de Michel Temer (PMDB), para presidência em 2018. Em entrevista ao Estado ele disse que “se o Michel for confirmado presidente, e o governo chegar a 50% de ótimo e bom, ele é que será o candidato do nosso campo, quer queira, quer não.”

A reação nos bastidores foi imediata. Isso porque a base aliada do governo tem vários presidenciáveis: o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), além dos ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e José Serra (Relações Exteriores).

Um ministro resumiu a situação: “Isso inviabilizaria o governo.”

Outra preocupação é que qualquer antecipação do debate pode influenciar na votação do processo de impeachment no Senado. (Andreza Matais)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.