Maia e Guedes ensaiam uma reaproximação

Maia e Guedes ensaiam uma reaproximação

Coluna do Estadão

30 de abril de 2020 | 05h00

Foto: Gabriela Biló/Estadão

Paulo Guedes e Rodrigo Maia têm sido aconselhados insistentemente a “dar o dedinho”. Segundo a Coluna apurou, o ministro e o presidente da Câmara voltaram a se falar recentemente, mas de maneira fria e por mensagem. Bastou para aliados de ambos, agora, tentarem marcar um encontro, presencial ou virtual: argumentam que o desentendimento entre Guedes e Maia complica o caminho de pautas vitais ao País, em especial, as econômicas, como o projeto de ajuda aos Estados. Um interlocutor próximo à dupla observa: parece namoro juvenil.

Amigo… Gente do mercado, economistas, Davi Alcolumbre e Bruno Dantas (TCU) entraram no circuito para reaproximar Paulo Guedes e Rodrigo Maia.

…estou aqui… O presidente da Câmara tem dito que jamais colocará os interesses do País abaixo de questões pessoais. Já é um começo promissor…

…se a fase é ruim. Quem trabalha pela reconciliação diz: os dois só perderam com o rompimento.

Deixa ele. Empresários que se reuniram com Jair Bolsonaro e Paulo Guedes disseram ao presidente: Sérgio Moro não foi promessa de campanha, mas o ministro da Economia, sim.

Libera. Luciano Hang e Flávio Rocha, no grupo, voltaram a falar em um abrandamento do isolamento social para Estados e cidades com poucos casos da covid-19 e que ainda têm muitos leitos à disposição.

CLICK. Michelle Bolsonaro teve agenda cheia ontem, com reunião com lideranças evangélicas. Em todas, inclusive ao lado de Jair Bolsonaro, ela usou máscara.

Reprodução/Instagram

Help. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, finalmente conseguiu marcar uma reunião para hoje com o ministro da Saúde, Nelson Teich. Vai aproveitar para pedir ajuda do governo federal para a compra de respiradores para o Estado.

Vamos ver. Caiado tem dito que, se nos próximos cinco dias os casos de covid-19 subirem acima da projeção da curva da doença, ele deverá ordenar o fechamento, de novo, de todas as atividades no Estado.

Agora vai. O hospital de campanha construído pelo governo federal em Águas Lindas, em Goiás, deverá começar a funcionar na semana que vem. Na segunda-feira, a União enviará os documentos necessários para que o Estado assuma a operação do local. O hospital foi visitado por Bolsonaro em 11 de abril.

BFFs. A presença de Gilmar Mendes e Dias Toffoli foi vista por assessores palacianos como um importante aceno de aproximação ao governo na sua fase pós-Sérgio Moro. Os dois são críticos dos métodos do ex-ministro na Lava Jato.

Fica, fica. Na sua primeira reunião como novo ministro da Justiça com a equipe de Moro, André Mendonça sinalizou que pretende manter a maioria das pessoas no cargo. Os secretários mais próximos a Moro, contudo, já anunciaram que devem deixar a Pasta.

Auch. Em sessão virtual, o senador Jorginho Mello (PL-SC) utilizou de forma pejorativa o termo “baianada” e levou bronca do colega Otto Alencar (PSD-BA).

Ué? A expressão preconceituosa chegou a ser suprimida das notas taquigráficas do Senado. Mas, depois de a Coluna ter questionado o motivo, o termo reapareceu no discurso de Mello.

Estado civil.  De um astuto observador das danças e cortejos da política: Bolsonaro “noivou” com Regina Duarte, mas já estão em regime de separação de corpos. Teve “divórcio consensual” com Mandetta e litigioso com Moro. Agora, namora o Centrão. Com Roberto Jefferson, por enquanto, parece ser só amizade.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Ilustração: Kleber Sales

Vamos… A diretoria do BNDES convidou o senador José Serra (PSDB-SP) para conversar sobre o pedido da Desenvolve SP relativo às demandas de crédito das micro, pequenas e médias empresas do Estado. A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) e o secretário Henrique Meirelles (Fazenda) devem participar do reunião.

…conversar. O pedido de crédito da Desenvolve SP (de R$ 1,5 bilhão) também mobilizou o deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP), que já havia requisitado o valor. Ele terá uma reunião virtual com o banco hoje. O presidente da instituição paulista, Nelson de Souza, também participará.

Com… Em nota à Coluna, o BNDES diz que as pequenas e médias empresas de São Paulo receberam 48% de todos os valores aprovados pela linha emergencial de giro lançada pelo banco em março (R$ 650 milhões).

…a palavra. O banco afirma rever semestralmente, de forma técnica, os limites de empréstimos via agentes financeiros de parceiros públicos e privados. Para o segundo semestre, o BNDES acabou de rever os limites. Alguns foram ampliados. Outros, reduzidos em relação ao período anterior.

PRONTO, FALEI! 

Divulgação

Guilherme da Cunha, deputado estadual (Novo-MG) e membro do Livres: “Tenho a certeza de que ainda olharemos pra trás e teremos vergonha da maneira discriminatória como a nossa sociedade trata hoje os homossexuais. É imperioso que nós, prezando pela Constituição e pelos princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade, removamos essa descriminação do nosso ordenamento jurídico e façamos com que essa população tenha igual direito, de todos os demais, de praticarem um gesto do mais puro amor e desprendimento, que é doar o próprio sangue pra ajudar a salvar a vida de terceiros. Terceiros estes que eles nem conhecem.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU DANIEL WETERMAN.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.