Maia é cortejado por ala anti-Temer do PMDB

Maia é cortejado por ala anti-Temer do PMDB

Luiza Pollo

16 de outubro de 2017 | 05h30

Foto: Wilton Junior/Estadão

 

O pé atrás do Planalto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, aumentou depois de relatos de que o demista participou de jantar na companhia dos senadores Renan Calheiros e Kátia Abreu, os maiores críticos do presidente Temer no PMDB. No cardápio, regado a vinho, falaram da chance de Temer não sobreviver à segunda denúncia e trataram de cargos num eventual governo Maia. O presidente da Câmara confirma ter participado do jantar na casa da senadora, mas nega que o assunto tenha sido o pós-Temer. “Recomposição [do governo] não tratamos”. Falaram sobre o que? “Jogo do Botafogo”.

Tudo certo. Deputados pró-Maia também participaram do jantar que ocorreu semanas atrás. Combinaram que numa gestão do demista, Moreira Franco seria mantido, mas fora do Planalto.

Susto. O presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), soube pela imprensa que os vídeos da delação do operador Lúcio Funaro estavam disponíveis no site da comissão. A decisão de dar publicidade ao material foi da presidência da Câmara.

Ponto de vista. Governistas minimizam o impacto dos vídeos da delação de Lúcio Funaro na votação da segunda denúncia contra Temer. Acham que as imagens mostram fragilidade nas acusações do delator, o que ajudaria o presidente.

Mais um. A Polícia Federal concluiu que não há indícios de envolvimento dos senadores peemedebistas Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR) em esquema investigado pela Operação Zelotes.

Andamento. O relatório da PF foi encaminhado à Procuradoria-Geral da República. O inquérito foi aberto para apurar indícios de que ambos negociaram pagamentos de R$ 45 milhões com lobistas em troca de aprovar emenda parlamentar de interesse de montadoras de veículos.

Tentativa. O governo apagou da sua página do Facebook uma peça em que brincava com a nova moda de tirar foto com o pé na pia.

E erro. Os internautas não viram muita graça no texto que dizia: “A moda é pé na pia pra tirar selfie. Mas e se a pia quebrar? Não se preocupe. O Cartão Reforma te ajuda”.

Cansei! O comando do Senado já decidiu que não irá receber a decisão do juiz de Brasília que proibiu votação secreta no caso Aécio e vai pressionar a Câmara a tirar da gaveta projeto que pune abuso de autoridade. O formato da votação será decidido no dia e em conjunto com os senadores.

Umbigo. Aliados do governo no Congresso se queixam que os ministros Bruno Araújo (Cidades), Marx Beltrão (Turismo) e Maurício Quintella (Transportes) estão mais preocupados com suas eleições do que com o futuro de Temer.

CLICK. Em meio a guerra entre sua defesa e Rodrigo Maia, o presidente Michel Temer postou nas suas redes sociais: “Domingo de carinho. A jornada é difícil, mas sempre há tempo para o Thor. Boa semana a todos!”.

FOTO: FACEBOOK PRESIDENTE TEMER

Sem teto. O deputado Danilo Forte, que será expulso do PSB, terá dificuldades para encontrar abrigo. Brigou com seis partidos no Ceará: PT, PTB, PR, PP, DEM e PTB.

Porta da rua. Também serão expulsos a líder do PSB na Câmara dos Deputados, Tereza Cristina, o ministro Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) e o deputado federal Fabio Garcia. Eles votaram a favor da reforma trabalhista.

Segue na estrada. O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), participa dia 20 de evento do Lide em Assunção, no Paraguai.

SINAIS PARTICULARES: João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo;por Kleber Sales

BOMBOU NO TWITTER!

“Lúcio Funaro diz ter usado o dinheiro de Joesley para comprar votos pró-impeachment, mas Joesley disse ter comprado votos contra o impeachment”, da ADVOGADA JANAINA PASCHOAL, autora do impeachment da ex-presidente Dilma.

COM REPORTAGEM DE LEONEL ROCHA. COLABOROU PEDRO VENCESLAU  

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão

Tendências: