Maia diz que só vota leniência se projeto incluir participação do TCU

Luiza Pollo

17 de novembro de 2016 | 07h30

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tranquilizou ministros do TCU. Disse que só pauta o projeto que muda os acordos de leniência se o tribunal for incluído como um dos responsáveis pelas negociações.

O ex-deputado Sandro Mabel, um dos principais assessores de Michel Temer, é tido como um dos articuladores da versão que contrariou a Lava Jato. O texto abre margem para que os executivos das empresas que aderirem à leniência não sejam responsabilizados na esfera penal.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.