Maia abre crise com Senado ao votar emenda que zerou PIS/Cofins sem avisar

Maia abre crise com Senado ao votar emenda que zerou PIS/Cofins sem avisar

Coluna do Estadão

24 Maio 2018 | 15h58

Eliseu Padilha, ministro das Minas e Energia, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Dirigentes do Senado acusam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de deslealdade por ter votado ontem à noite a emenda que zerou o PIS/Cofins sem combinar com os senadores. O comando do Senado diz que foi pego de surpresa com a decisão da Câmara e diz que não vai “pagar essa conta”.

Líderes ouvidos pela Coluna afirmam que Maia usou o Senado para conseguir tirar da frente a Medida Provisória 814 (que destravava leilão das distribuidoras da Eletrobras no Norte e Nordeste), que tinha prioridade de votação, para conseguir fazer “bravata de madrugada”, aprovando a medida sem combinar com ninguém.

“Rodrigo fez uma bravata de madrugada ao votar algo que não estava na pauta sem avisar o Senado.  Fomos surpreendidos. Qualquer projeto normal vai para as comissões. Ele votou a matéria com a pauta trancada”, disse um senador. “Ele acha que com isso vai subir cinco pontos nas pesquisas”, complementou. Candidato ao Planalto, Maia tem 1% nas pesquisas de intenção de voto.

O assunto será discutido no Senado em reunião de líderes às 19 horas desta quinta-feira. A votação na Câmara obrigou o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), a convocar os senadores a voltarem para Brasília. Ele mesmo pousou em Fortaleza e decidiu retornar para Brasília cancelando compromissos no Estado. O senador nem saiu do aeroporto. (Andreza Matais)

 

 

Mais conteúdo sobre:

Rodrigo MaiaSenadocombustível