Lula se lança candidato para politizar denúncia

Lula se lança candidato para politizar denúncia

­

Coluna do Estadão

23 de setembro de 2016 | 05h00

Foto: Douglas Magno/AFP

Foto: Douglas Magno/AFP

Transformado em réu na Operação Lava Jato e vendo a prisão de Guido Mantega, seu ex-ministro da Fazenda, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está cada vez mais candidato ao Palácio do Planalto em 2018. Em dois dias, fez comícios em sete cidades no Nordeste (Fortaleza, Recife, Natal, Crato, Barbalha, Iguatu e Ipojuca). Não foi à toa. A estratégia visa reforçar o discurso de perseguição política, uma vez que se houver pedido de prisão não será contra um ex-presidente, mas em desfavor de um pré-candidato declarado da oposição.

Lula estará hoje em São Paulo tentando empurrar a campanha do prefeito Fernando Haddad, que não conseguiu decolar e está em quarto lugar. Na segunda-feira, Lula faz campanha no Rio por Jandira Feghali (PCdoB).

No comício em Natal, sobrou ataque de Lula até para “os Garibaldis”, grupo político que apoia chapa adversária do candidato petista Fernando Mineiro. Só que o senador Garibaldi Alves (PMDB) foi ministro da Previdência com Dilma Rousseff até o ano passado.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Vai ter mais

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: