Lula ‘namora’ com Alckmin, mas ainda está ‘casado’ com Dirceu ao relativizar ditaduras

Lula ‘namora’ com Alckmin, mas ainda está ‘casado’ com Dirceu ao relativizar ditaduras

Coluna do Estadão

24 de novembro de 2021 | 02h15

O ex-presidente Lula: “Por que Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder e Daniel Ortega não?”

Não tem Geraldo Alckmin para dar jeito enquanto Lula continuar ouvindo prioritariamente as alas mais à esquerda do PT, avaliam aliados do ex-presidente e do ex-governador. O desastre da entrevista ao El País comprova, para esse grupo, que Lula está muito mais alinhado (em todos os sentidos) ao operante ex-ministro José Dirceu e a Gleisi Hoffmann, a presidente do PT, do que ao ex-governador de São Paulo. Nesse contexto, o “namoro” com o moderado Alckmin é lido como relação só de fachada, na qual o papel do ainda tucano é servir de biombo para encobrir a radicalização de Lula e do PT. Um dos aliados de Alckmin resume assim: Lula “namora o Geraldo”, mas “está casado com o Zé Dirceu”. Não por outro motivo, o mercado e o setor produtivo não desistem de buscar a terceira via.

HUMMM. Aliás, o grupo mais fiel a Alckmin já começa a achar que Lula vai queimar o filme do ex-governador de São Paulo, especialmente no interior, se continuar defendendo Daniel Ortega, Maduro, etc.

LUÍS XV. Ninguém tem saudade de Antônio Palocci no PT, considerado um “traidor” após ter delatado Lula na Operação Lava Jato. Mas, em privado, já há quem reconheça a necessidade de um perfil moderado como o do ex-ministro ao lado do ex-presidente na campanha: a missão seria apeá-lo do salto alto.

ESPORTE FINO. A filiação de Jair Bolsonaro ao PL, no próximo dia 30, perdeu, ao menos por ora, o caráter de grande festa. Na longa reunião de ontem, 23, ficou decidido que o presidente assinará a ficha em cerimônia acompanhada por umas cem pessoas, um tanto restrita no mundo da política.

CLICK. Roberto Freire, presidente do Cidadania

“Depois do negacionismo pandêmico, do qual foi artífice, resultando em 612 mil mortes e numa crise sem fim, Guedes virou negacionista econômico. Pra ele, os bancos não preveem crescimento em V porque se opõem a Bolsonaro e não aceitaram sua eleição. Já vi cara de pau, mas assim…”

ROAD SHOW. A presidente do Podemos, Renata Abreu (SP), está gastando sola de sapato com seu mais novo filiado, Sérgio Moro. Eles devem viajar o País, começando pelo Rio Grande do Sul. Em paralelo, a legenda prevê filiações em série nas próximas semanas. Uma delas é a do deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP).

PASSE LIVRE. Fonteyne conseguiu autorização do seu partido atual para mudar de time antes da janela partidária. A filiação deve ocorrer na semana que vem, em Campinas (SP).

CLICK. Fábio Ramalho, deputado federal (MDB-MG)

Parlamentar (ao centro) comemorou homenagem recebida de entidade de juízes federais de Minas “pelo empenho na criação do TRF-6”.

CONTAS…  Estudo do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde aponta que o projeto de lei, em tramitação no Senado, prevendo o piso salarial nacional de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, pode abrir rombo de R$ 32,4 bilhões nos cofres municipais, fazendo com que eles estourem os limites da LRF.

…PÚBLICAS. “Considerando a manutenção dos níveis de gasto que ano a ano vem aumentando e o piso proposto pelo Projeto de Lei 2564, as despesas com saúde irão ultrapassar os limites da LRF para despesa de pessoal, bem como comprometer as demais despesas dos municípios”, diz o estudo da Conasems encaminhado aos senadores.

SÓ O FILÉ. Diante da postura da cúpula do Congresso Nacional para manter em segredo os nomes dos deputados e senadores beneficiados com emendas de relator relativas a 2020 e 2021, um profundo conhecedor das engrenagens legislativas vaticinou: os parlamentares querem o bônus do Executivo, mas não aceitam o ônus.

SINAIS PARTICULARES (Por Kleber Sales), Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

SAI PRA LÁ. Ao bloquear o acesso às emendas RP 9, Arthur Lira (Progressistas-AL) evidencia que só pensa na sua reeleição na Câmara. E o País? Fica para depois.

CONSTRUÇÃO. Enquanto aguarda o desfecho das prévias do PSDB, o governador João Doria segue alinhavando apoios para sua pré-candidatura. O tucano jantou na segunda-feira, 22, em restaurante de São Paulo, com grandes empresários do setor imobiliário, em encontro organizado pelo secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, ex-presidente do Secovi.

Com reportagem de Alberto Bombig e Camila Turtelli

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.