Lula está entre os quatro candidatos mais ricos

Lula está entre os quatro candidatos mais ricos

O patrimônio de Lula informado no inventário é superior ao de Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) somados

Coluna do Estadão

15 Agosto 2018 | 05h30

Nota atualizada às 19h30 de quarta-feira, 15

Luis Inácio Lula da Silva Ilustração: Kleber Sales/Estadão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve registrar hoje sua candidatura ao Planalto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, se ele repetir o que informou à Justiça no processo de inventário da ex-primeira-dama Marisa Letícia, deverá ficar entre os presidenciáveis mais ricos. Em junho, o petista disse ao Judiciário que os bens do casal somam R$ 12,3 milhões. Em 2006, sua última eleição, ele declarou patrimônio de R$ 839 mil. Atualizado pelo IPCA, R$ 1,7 milhão. A cifra que consta no inventário é superior ao patrimônio declarado por Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) somados.

Classe A. Dos candidatos ao Planalto, o político Lula só deve perder em patrimônio para o empresário João Amoedo, que informou R$ 425 milhões, e o ex-presidente do BankBoston Henrique Meirelles. O emedebista registra sua candidatura hoje e não quis antecipar quanto vai declarar. (No final da quarta-feira, 15, Meirelles informou bens no valor de R$ 377,4 milhões e João Goulart Filho de R$ 8,5 milhões. Com isso, Lula é o quarto e não o terceiro candidato mais rico, como informou a Coluna inicialmente)

Partilha. Pelo processo de partilha, ainda em curso, Lula vai dividir metade do patrimônio de R$ 12,3 milhões com os filhos. Mesmo se ele declarar ao TSE apenas sua parte, R$ 6 milhões, continuará entre os três presidenciáveis mais ricos.

Tesouro. Em junho, Lula informou à Justiça, no processo de partilha, ter dois planos de previdência, que somam R$ 9 milhões. Além da L.I.L.S. Palestras, que também não existia em 2006, entre outros bens.

The Voice. O grupo que vai acompanhar o registro da candidatura de Lula hoje promete entoar a canção de Alceu Valença que diz “Tu vens, tu vens, eu já escuto os teus sinais” em frente o TSE. Será o primeiro protesto que a gestão da ministra Rosa Weber vai enfrentar.

O retorno. O ex-procurador Marcello Miller passou para a segunda fase do concurso para juiz federal do TRF-3. Em junho, ele foi denunciado pelo MPF acusado de atuar como “agente duplo” auxiliando executivos da J&F na delação premiada. O que nega.

De volta às origens. Antônio Anastasia (PSDB) registrou sua candidatura ao governo de Minas com o nome “Professor Anastasia”. A última vez que usou o cargo no registro foi em 2006, quando disputou como vice ao lado de Aécio Neves.

Desculpa aí. O ministro Carlos Marun, da articulação política, pediu desculpas ao deputado federal Orlando Silva (PCdoB), ontem, após a sanção da Lei de Dados. “Queimei minha língua ao dizer que a oposição não tinha coisa boa”, sobre o projeto ter sido relatado pelo pecebista.

Às claras. A Advocacia Geral da União (AGU), comandada pela ministra Grace Mendonça, pediu ao Supremo que declare novamente a constitucionalidade da divulgação dos vencimentos de magistrados nos portais de transparência.

Escondidinho. A atuação ocorre no âmbito de ação movida pela Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo. A entidade diz que divulgação dos dados ofende a privacidade, a “intimidade e a segurança dos servidores”.

CLICK. O governo divulgou em suas redes sociais uma imagem do Supremo Tribunal Federal dizendo se tratar do Palácio do Planalto. O erro foi corrigido logo depois.

Instagram Palácio do Planalto/Reprodução

Sob… O TCU deve declarar hoje a inidoneidade da UTC Engenharia por fraudes em licitações da Petrobrás para a implantação da Refinaria Abreu e Lima.

…ataque. A UTC já foi considerada inidônea por cartel em Angra 3. A empreiteira alegou no atual processo incompetência do TCU para apurar cartel e sustentou que não poderia ser responsabilizada por indícios.

PRONTO, FALEI! 

Fernando Mendes, presidente da Ajufe FOTO: Ajufe

“É evidente que a condenação do Lula é um fato notório”, Fernando Mendes, Presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe)sobre decisão do PT de apresentar ao TSE certidão de antecedente criminal de Lula de SP, onde não foi condenado.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU BRENO PIRES

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadão