Lula e Marisa dizem que Lava Jato fez ‘truque de ilusionismo’ em denúncia

Lula e Marisa dizem que Lava Jato fez ‘truque de ilusionismo’ em denúncia

'Neste País, ser amigo e ter aliados políticos é crime', diz Lula

Coluna do Estadão

14 de setembro de 2016 | 19h01

Foto: Divulgação/Ricardo Stuckert

Foto: Divulgação/Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua esposa, Marisa Letícia Lula da Silva, afirmaram em nota que a Força Tarefa da Lava Jato “valeu-se de truque de ilusionismo” na denúncia contra o casal.

Segundo Lula, para “sustentar o impossível”, o Ministério Público Federal promoveu um “reprovável espetáculo judicial-midiático”. O casal nega que seja dono do tríplex do Edifício Solaris, no Guarujá.

“O MPF elegeu Lula como maestro de uma organização criminosa, mas esqueceu do principal: a apresentação de provas dos crimes imputados. Quem tinha poder? Resposta: Lula. Logo, era o comandante máximo da propinocracia brasileira. Um novo País nasceu hoje sob a batuta de Deltan Dallagnol e, neste país, ser amigo e ter aliados políticos é crime”, diz o texto.

O casal alega que, diante da falta de provas contra Lula, a Lava Jato apelou para um discurso farsesco. “Desde o início da Operação Lava Jato houve uma devassa na vida do ex-Presidente. Nada encontraram. O crime do Lula para a Lava Jato é ter sido presidente da República”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: