Lobistas Jorge e Bruno Luz são presos nos Estados Unidos

Lobistas Jorge e Bruno Luz são presos nos Estados Unidos

Andreza Matais e Naira Trindade

24 de fevereiro de 2017 | 13h16

brasil-lobista-jorge-luz-20170223-001

Jorge Luz (foto) e seu filho são presos em Miami, nos Estados Unidos

Os lobistas Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho, alvos de mandados de prisão preventiva na Operação Blackout, 38ª fase da Operação da Lava Jato, deflagrada ontem, foram presos agora há pouco nos Estados Unidos. Eles omitiram informações no processo imigratório e a estadia deles havia expirado. Jorge e Bruno são acusados de operar propinas para o PMDB no exterior. Ontem, a força-tarefa da Lava Jato pediu ao juiz Sérgio Moro a prisão dos dois após identificar que eles deixaram o Brasil e que possuem dupla nacionalidade.

A Polícia Federal informa que ainda não há previsão de eventual extradição ao Brasil ou expulsão. Casos de extradição ocorrem geralmente quando há um mandado de prisão contra a pessoa. No entanto, os operadores foram presos pela polícia de imigração americana por irregularidades nos documentos de permanência no país. A PF esclarece, porém, que existe a possibilidade de eles serem expulsos, a depender do que autoridades americanas entendam sobre o caso.

Bruno Luz viajou para os Estados Unidos em 16 de agosto de 2016. Já seu pai, Jorge Luz, saiu do Brasil no dia 11 de janeiro último. Com isso, a Polícia Federal pediu a inclusão deles na difusão vermelha da Interpol. As investigações mostram que Jorge e Bruno Luz mantinham ‘relação próxima’ com outro operador do PMDB que já está preso, João Augusto Henriques.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.