Lobista ligado ao PMDB é alvo de operação

Fábio Fabrini e Andreza Matais, de Brasília

26 de setembro de 2016 | 12h21

A Polícia Federal cumpriu nesta segunda-feira, 26, mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva (quando o investigado é levado a depor e, em seguioda, liberado) contra o lobista Milton Lyra. Ele é um dos alvos da Operação Omertà, que prendeu o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil nos governos Lula e Dilma, suspeito de desvios na Petrobrás.

Ligado ao PMDB do Senado, Lyra é investigado em outros inquéritos por suspeita de operar propinas aos senadores do partido. Um dos delatores da Operação Lava Jato, o ex-diretor da Hypermarcas Nelson Mello, contou que R$ 26,5 milhões foram repassados a políticos ligados a Lyra.

Entre os citados estão o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o líder do PMDB na Casa, Eunício Oliveira (CE), e os senadores Renan Jucá (PMDB-RR) e Eduardo Braga (PMDB-AM). Eles negam irregularidades.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.