Lira sob pressão: manobra arriscada e tentativa de manter passado sob sigilo

Lira sob pressão: manobra arriscada e tentativa de manter passado sob sigilo

Coluna do Estadão

09 de novembro de 2021 | 05h00

Líderes partidários e ministros da área política do governo tentaram convencer Arthur Lira (Progressistas-AL) dois dias antes da votação da PEC dos Precatórios a liberar o voto remoto. Ele bateu no peito e recusou, alegando que conseguiria quórum suficiente para aprovar a medida. Só mudou de ideia na noite da votação do 1.º turno. Abriu, assim, um dos flancos para questionamento no STF. Partidos recorreram. Há entendimento, por exemplo, de que parlamentares em missão oficial no exterior estão afastados do exercício do mandato. Mas, de última hora, Lira permitiu que os deputados em viagem à Escócia pudessem votar.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Eu sei o que… Mesmo após a liminar de Rosa Weber, o Congresso segue defendendo manter ocultos os “verões passados” de 2020 e 2021. Na reunião de Lira com Luiz Fux, é sintomático que apenas o relator-geral do Orçamento de 2022, o deputado Hugo Leal (PSD-RJ), esteve presente.

…vocês fizeram. A tentativa é vender o discurso de que o Congresso, interna corporis, disciplinará a prática daqui para a frente, inclusive aprovando projeto de lei. Mas e os R$ 28 bilhões já empenhados nos “verões” de 2020 e de 2021?

Assim, não. Está em curso a licitação do BNB para substituir o Instituto Nordeste Cidadania (Inec) na gestão do Crediamigo, programa de microcrédito. Vinculado ao PT, o Inec é visto como uma barreira para que Jair Bolsonaro melhore seu desempenho no Nordeste, onde enfrenta dificuldades.

Assim, não 2. O que deixa o presidente inconformado (e desconfiado) é que a concorrência vale apenas para a área urbana, que rende R$ 583 milhões por ano ao Inec. O instituto petista continuará recebendo R$ 358 milhões para gerir o Crediamigo na zona rural.

Covas. Segue intensa no PSDB a disputa pelo apoio dos “covistas” nas prévias do partido. Após Eduardo Leite ter adicionado Orlando Faria, secretário de Habitação da Prefeitura de São Paulo, a seu time, João Doria também contabiliza seus votos entre familiares e amigos de Bruno Covas (1980-2021) e do avô Mario Covas (1930-2001).

Covas 2. Aliados de Doria articulam um manifesto de apoio a ele com “covistas” importantes. Renata Covas, mãe de Bruno, e Thomas, filho, têm se envolvido nas prévias em prol do governador de São Paulo.

Bicho estranho. Já ganhou até apelido a estranha negociação entre Geraldo Alckmin e Lula: “Jarachuchu”, a mistura da Jararaca com o Chuchu.

SINAIS PARTICULARES. Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo; e Lula, ex-presidente da República. Ilustração: Kleber Sales/Estadão.

Peraí. Causou estranheza na Prefeitura de São Paulo o anúncio de que o Estado todo não teve morte por covid-19 pela primeira vez. Na capital, segundo a atualização mais recente, de 6 de novembro, há o registro de um óbito pela doença. Os dados são catalogados a partir do dia do registro de morte.

Reação. O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, Aliel Machado (PSB-PR), atuará para derrubar o decreto de Bolsonaro que retirou a Ordem do Mérito de dois pesquisadores contrários à cloroquina para covid-19.

Reação 2. A retirada da condecoração de Marcus Vinicius Guimarães de Lacerda e Adele Schwartz Benkazen já tinha feito outros 21 cientistas renunciarem à indicação à Ordem depois do decreto presidencial.

Caçada. Para Aliel, trata-se de “perseguição à ciência”. “O presidente não consegue se abster de suas preferências e administrar afastado de seus interesses pessoais e familiares”.

Participação. O presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Ciro Marino, vai participar por videoconferência do painel “A inovação e a química como soluções para o desenvolvimento sustentável”, organizado pelo Ministério do Meio Ambiente para a COP-26.

CLICK. Secretário de Justiça de SP, Fernando José da Costa participou no sábado da operação Combustível Limpo: prisão de gerentes de postos e interdição de bombas na região de Campinas.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MATHEUS LARA. COLABOROU BRENO PIRES.

PRONTO, FALEI!

Gil Castello Brando, fundador da Contas Abertas

“No mesmo dia em que a ministra do STF suspendeu a liberação de emendas de relator, foram empenhados R$ 245,5 milhões! Será que a “feira” das emendas de relator acabou mesmo na sexta feira passada?”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.