Líderes tucanos unificam discurso em favor da vida

Líderes tucanos unificam discurso em favor da vida

Coluna do Estadão

07 de março de 2021 | 05h00

Divulgação/PSDB

A postura de Jair Bolsonaro na pandemia conseguiu unificar críticas de tucanos de diferentes gerações e trajetórias políticas, algo raro em se tratando de PSDB. “O responsável por este trágico momento que já produziu 263 mil mortos no Brasil é Jair Bolsonaro, com seu negacionismo, mentiras, omissões e incompetências”, diz João Doria. “O presidente joga brasileiros para a morte ao incentivar aglomerações e o não uso da máscara”, diz Eduardo Leite. “Bolsonaro parece viver realidade paralela e não ter nenhum apreço pela vida alheia”, diz José Serra.

Juntos. Doria, Leite e Serra falaram com exclusividade à Coluna. “O presidente se comporta e faz declarações de formas tão grosseiras e descabidas que parece ignorar as responsabilidades e o decoro que exigem o cargo de chefe de Estado”, disse o experiente senador por São Paulo e ex-ministro da Saúde de FHC.

Rumo… “A mente bolsonarista já é muito difícil de entender, mas impossível de entender mesmo é o coração. Porque é de uma insensibilidade, de uma desumanidade absurda”, desabafou o jovem governador do Rio Grande do Sul.

…à morte. “Estamos diante de um colapso da Saúde Pública e à beira de uma catástrofe humanitária sem precedentes”, afirma o governador de São Paulo.

Nós?! Sobre Bolsonaro culpar os governadores pela crise econômica, Leite diz: “Que governadores são esses tão poderosos para gerar problemas econômicos mundiais? É só confronto político para sustentar uma narrativa: morra quem morrer. Isso é lamentável”.

Registro. Procurado pela Coluna, o Palácio do Planalto não quis comentar as declarações dos tucanos.

Mimimi? Monitoramento feito pela Vox Radar para o PSDB mostrou o impacto negativo nas redes sociais sobre as recentes declarações de Jair Bolsonaro minimizando a covid-19 e atacando os defensores da vacina: 62,1% desaprovaram.

CLICK. João Doria (ao centro) recebeu no Bandeirantes deputados gaúchos, como Patrícia Alba (à esq.) e Vilmar Lourenço. Na pauta, a Coronavac, do Butantan.

Coluna do Estadão

Retomada… Ao menos 211 deputados de vários partidos criarão nesta terça-feira, 9, a Frente Parlamentar das Energias Renováveis.

…verde. O grupo, presidido por Danilo Forte (PSDB-CE), quer recolocar o Brasil como protagonista nos debates ambientais e até enviar comissão para a Conferência do Clima de Glasgow, em dezembro.

Força e fé. “O Brasil tem tudo para ser o maior produtor de energia limpa do mundo”, afirma Forte.

Planos. O MDB não faz parte da lista de siglas a que Luciano Huck cogita se filiar. O partido, porém, não descarta compor chapa com o apresentador em 2022. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) é hoje a primeira opção de vice.

Olha só. A votação da PEC Emergencial teve um componente “extra plenário” que surpreendeu senadores da oposição: identificaram nas redes sociais o crescimento vertiginoso de postagens que emplacaram a narrativa de que eles seriam contrários à retomada do auxílio emergencial. Suspeitas recaem sobre a rede bolsonarista, claro.

Olê, Telê. Rodrigo Pacheco (DEM-MG) não se considera um torcedor de futebol “engajado” ultimamente. O presidente do Senado, porém, guarda uma boa lembrança da adolescência: o São Paulo de Telê Santana. “Acho que foi o último grande time que vi jogar”.

SINAIS PARTICULARES.
Rodrigo Pacheco, presidente do Senado

Ilustração: Kleber Sales

Sem… Na pequena Tianguá (CE), com menos de 70 mil habitantes, foram confirmados 141 novos casos de covid-19 na última semana. Jair Bolsonaro esteve no município dia 26, sem máscara, causando aglomerações.

…distância. Na semana anterior à visita presidencial, foram 90 casos confirmados. O Ministério Público pediu à PGR abertura de investigação contra Bolsonaro por crime contra a saúde pública.

Resposta. À Coluna, o prefeito de Tianguá, Luiz Menezes de Lima, disse que o aumento nos casos de covid-19 no município na última semana são “coincidência” e não tem a ver com a aglomeração provocada por Bolsonaro.

Resposta 2. Lima, que participou da cerimônia com Bolsonaro, disse que não poderia ter feito diferente, por se tratar do presidente. O aumento no número de casos atribuiu ao fato de ser uma cidade cortada por uma BR, com maior circulação de pessoas. Há ocupação de 100% dos dez leitos de UTI no hospital da cidade – mas Lima diz que apenas dois são cidadãos de Tianguá.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Silvana Garzaro

Luiz Carlos Bresser-Pereira, ex-ministro da Fazenda e professor emérito da FGV: “Estou envergonhado porque nós, brasileiros, e o Congresso que elegemos não fomos ainda capazes de promover o impeachment do senhor Bolsonaro.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.