Líderes levam reforma ‘na ponta dos dedos’

Líderes levam reforma ‘na ponta dos dedos’

Coluna do Estadão

08 de julho de 2019 | 05h00

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O clima entre os líderes favoráveis à reforma da Previdência no Congresso é de otimismo, porém com moderação. Um deles se lembrou da expressão que celebrizou a reta final de uma das vitórias do brasileiro Ayrton Senna (1960-1994) na F-1: “estamos dirigindo na ponta dos dedos”. Ainda que a oposição esteja sem força e fôlego para, junto dos sindicatos, mobilizar a sociedade, há sempre a preocupação quanto à capacidade do próprio governo de produzir ruídos na articulação e com a opinião pública, como o dos policiais semana passada.

Onde mora… O grande risco, a partir de agora, avaliam os mais experientes, passa mesmo a ser desconfiguração completa do texto no plenário da Câmara.

… o perigo. Até quem defende a inclusão de Estados e de municípios na reforma reconhece que esticar demais a corda nesse ponto pode comprometer a fase finalíssima da costura.

Análise.“O ideal seria a reforma incluir os Estados. Ainda tenho esperança. Mas o clima entre os governadores e o Parlamento azedou muito. Acho que o gesto tinha que vir deles, o Congresso precisa ser ganho (convencido)”, afirma o ex-governador Paulo Hartung (ES).

Blindada? Até os líderes mais pessimistas reconhecem, no entanto, a resiliência da atual reforma da Previdência, que avança no Congresso apesar do destempero verbal do governo.

Paz. Rodrigo Maia disse a um grupo de parlamentares que não é bom brigar com ministro da Economia, pois ele sempre ganha a opinião pública. O presidente da Câmara dá o exemplo: seus embates públicos com Paulo Guedes cessaram.

A disputa… O deputado e sindicalista Paulinho da Força (SD-SP) promete apresentar um destaque no Plenário para amenizar a regra de transição do regime geral e do funcionalismo.

…não acabou. Entidades de servidores públicos estão céticas quanto à aprovação. Querem mesmo é colocar no circuito o presidente do STF, Dias Toffoli, e a PGR, Raquel Dodge.

Pra lá de quarta. São muito pequenas as chances de votação amanhã.

Anote aí. A oposição errou ao apostar que o inferno astral de Sérgio Moro (Justiça) tivesse força para travar o trâmite da reforma. Um líder do Comissão Especial explica: os problemas do ministro são de outra natureza e devem ser tratados mais adiante.

Pronto. O deputado Pedro Lupion (DEM-PR) apresentará relatório de projeto para desburocratizar a gestão pública, de autoria de Alessandro Molon (PSB-RJ). Uma das novidades será obrigar a administração pública a acompanhar resultados de governança.

Costura… A “nova” Secretaria de Governo, agora sob gestão do general Luiz Eduardo Ramos, terá como prioridade total azeitar a articulação política.

… pra dentro. Não ganhará destaque neste momento o trabalho de relacionamento com a sociedade civil.

Background. Alçado para a Secretaria Executiva que cuidará da articulação política, Jonathas Assunção atuou na MP do Saneamento quando comandava essa área no Desenvolvimento Regional. O texto caducou por falta de acordo.

PRONTO, FALEI!

De Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal: “A Lava Jato vai continuar. E essa não é a palavra só de um brasileiro que ama o Brasil. É de quem no ano que vem assume a presidência do Supremo”, em palestra a investidores.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: