Lewandowski manda mensagens da Spoofing para Aras e Corregedora-Geral do MP

Lewandowski manda mensagens da Spoofing para Aras e Corregedora-Geral do MP

Marianna Holanda

30 de março de 2021 | 12h59

Foto: André Dusek/Estadão

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski determinou, nesta terça-feira, 30, o encaminhamento das mensagens dos procuradores da Lava Jato obtidas na Operação Spoofing para o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, e para a Corregedora-Geral do Ministério Público, Elizeta Maria dos Santos.

O ministro deu prazo de 30 dias para que a corregedora esclareça se houve “quaisquer registros de tratativas e negociações internacionais” com a Operação Lava Jato, em especial relacionadas à Odebrecht. E, depois, que sejam juntados aos autos para que a defesa de Lula tenham acesso.

Além de PGR, Aras também é presidente do CNMP, Conselho Nacional do Ministério Público, que apura a conduta de procuradores. Lá, já há procedimento contra Deltan Dallagnol com base nas mensagens.

As decisões foram tomadas no âmbito da reclamação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no STF, da qual Lewandowski é relator.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.