Lava Jato de Bretas nas portas do Judiciário

Lava Jato de Bretas nas portas do Judiciário

Coluna do Estadão

10 de setembro de 2020 | 05h00

Foto: Fábio Motta / Estadão

A ofensiva jurídica, comandada por Marcelo Bretas, contra advogados e o Superior Tribunal de Justiça estacionou o comboio da Lava Jato nas portas do Judiciário, faltando pouco para ela se instalar de vez no Poder mais blindado do País. Entre os 26 denunciados pelo Ministério Público Federal, há nomes importantes do Direito, as cifras citadas impressionam e as suspeitas sobre o STJ são graves (tráfico de influência) e, se comprovadas, vão arrastar mais gente para o redemoinho. Com a operação sob ataque, a Lava Jato do Rio, no mínimo, foi arrojada.

Cenário. No STJ estão potenciais concorrentes de Bretas por uma vaga no Supremo Tribunal Federal.

Ué. Advogados estranharam as denúncias contra os envolvidos nos desvios do Sistema S terem saído no mesmo dia da operação de busca e apreensão. Avaliam que o objetivo foi ganhar repercussão nacional.

Vixe. Busca e apreensão em escritórios de advocacia, como as realizadas pela Operação E$quema S, são raras na história do Brasil (até onde se sabe, não ocorreram no Império, no Estado Novo nem na ditadura militar). Segundo a denúncia, 11 pessoas integram o núcleo duro da “orcrim”, das quais 8 são advogados.

Luz amarela. A operação causou preocupação no governo do Distrito Federal. Além de Daniel Rossiter, atual presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), ter sido denunciado, Everardo Gueiros, secretário de Projetos Especiais, possui relações com Orlando Diniz, pivô da operação, e Roberto Teixeira, advogado de Lula.

CLICK. Michelle Bolsonaro (à esq.) visitou, acompanhada pela ministra Damares Alves (à dir.), a Casa de Acolhimento Bom Jesus, em Cuiabá (MT). Ela abriga hoje 72 idosos e, recursos do programa Arrecadação Solidária, garantiram alimentação dessas pessoas por três meses.

Reprodução/Instagram

Enxurrada. A MP que prorroga o auxílio emergencial até dezembro já recebeu mais de 260 emendas. A maioria foi apresentada pela oposição, que defende retomar o valor original de R$ 600 do benefício. O governo enviou o texto com metade do estava sendo pago, R$ 300.

Veja bem. A pressão da oposição reforça a estratégia que tem sido pensada entre os governistas de não votar a medida. Como? Ela está em vigência desde sua publicação e tem validade de 120 dias, portanto, só caducará após o pagamento da última parcela do benefício em dezembro.

LEIA TAMBÉM: Republicanos decide lançar Russomanno à prefeitura de SP, mas PSDB mantém conversas

Bolsonaro… O militar Adriano da Costa e Silva, o Major Costa e Silva, será candidato a vereador em São Paulo, pelo PTB.

…em SP. “Além de estar alinhado às bandeiras mais caras aos petebistas, o Costa e Silva é um verdadeiro defensor de Bolsonaro”, disse Campos Machado, presidente do PTB-SP.

Estimação. Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Ruy Carneiro (PSDB) resolveu inovar e marcou sua convenção em área arborizada da cidade, com espaços demarcados no gramado para grupos familiares. Haverá também espaço reservado para os convencionais que levarem o pet.

SINAIS PARTICULARES.
Ruy Carneiro, deputado federal (PSDB-PB)

Ilustração: Kleber Sales

 

PRONTO, FALEI! 

Deputado Vinicius Poit. FOTO: MICHEL JESUS/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Vinicius Poit, deputado federal (Novo-SP): “Vemos com muita preocupação esse tipo de fala porque afugenta investidores. É mais um ponto que mostra que o presidente continua se afastando da política liberal”, sobre Jair Bolsonaro pedir patriotismo e lucro “próximo de zero” a supermercados.

COM ALBERTO BOMBIG E MARIANA HAUBERT

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Marcelo BretasLava JatoSTJSTFMPF

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: