Justiça do DF mantém decisão do PSL de suspender Eduardo Bolsonaro e mais quatro deputadas

Justiça do DF mantém decisão do PSL de suspender Eduardo Bolsonaro e mais quatro deputadas

Marianna Holanda

26 de agosto de 2020 | 18h57

Deputado Eduardo Bolsonaro. FOTO: GABRIELA BILO/ESTADÃO

A Justiça do Distrito Federal manteve, nesta quarta-feira, 26, a decisão do PSL de suspender Eduardo Bolsonaro (SP) e mais quatro deputadas de suas atividades partidárias.

Em sessão nesta tarde, a Segunda Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF revogou, por unanimidade, a liminar de fevereiro deste ano que suspendia a sanção imposta aos deputados “bolsonaristas” pelo partido.

Na prática, esta é a pior sanção que um político pode receber antes de sua expulsão. Ele fica afastado de suas atividades parlamentares e perde vaga em comissões, por exemplo.

Além do filho 03 do presidente, também foram suspensas: Carla Zambelli (SP), Bia Kicis (DF), Alê Silva (MG) e Chris Tonietto (RJ).

Os desembargadores julgaram nesta tarde um segundo recurso. Este, de parlamentares “bolsonaristas” do PSL, solicitava a suspensão das sanções contra outros 12 deputados. A Segunda Turma manteve a decisão anterior e, portanto, eles continuam suspensos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: