Juristas se dividem entre Bolsonaro e Haddad

Juristas se dividem entre Bolsonaro e Haddad

Coluna do Estadão

16 de outubro de 2018 | 05h30

Presidenciáveis Fernando Haddad e Jair Bolsonaro. Fotos: José Patrício e Dida Sampaio/Estadão

Um grupo de juristas está finalizando manifesto de apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL). O texto critica o PT, a quem acusa de ter instalado no País um “projeto de poder em detrimento do povo”. Candidato do PT, Fernando Haddad também recebeu apoio de advogados. Em Brasília, está sendo elaborado um novo documento, acusando Bolsonaro de tentar controlar o Supremo ao propor aumentar para 21 o número de ministros. Será lançado no próximo dia 23 e tem como um dos signatários o ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles.

Campo… Aliados de Jair Bolsonaro buscam entre os veteranos na Câmara um deputado com “perfil conservador e equilíbrio moderado” para disputar a presidência da Casa. Interlocutores do capitão avaliam que, se eleito, o candidato do PSL não vai aliar-se a Rodrigo Maia (DEM-RJ).

…minado. Interlocutores de Bolsonaro dizem temer apoiar Maia por não saber como se portará com pautas polêmicas como aborto e ideologia de gênero.

Público-alvo. A pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, divulgada ontem, mostra que 11% das mulheres dizem votar em branco ou nulo e 3% não responderam ou não souberam dizer. Se considerados os homens, os porcentuais caem para 6% e 2%, respectivamente.

Primo pobre. A rejeição a Haddad chega a 60% entre quem ganha mais de cinco salários mínimos e os evangélicos. Já em Jair Bolsonaro, os maiores índices de rejeição estão entre quem ganha até um salário mínimo (43%) e nos eleitores do Nordeste (49%).

Monitorando. O PSD liberou o apoio na eleição presidencial, mas está consultando os diretórios para mapear quem é Haddad e quem é Bolsonaro. Até agora, apenas Bahia e Sergipe informaram apoiar o petista. Após levantamento, o ministro Gilberto Kassab vai anunciar seu voto no capitão reformado.

Perdeu, mas… Com a alta rejeição ao PSDB no Nordeste, há quem comemore o resultado do candidato do senador Tasso Jereissati, General Theophilo. Apesar de pouco conhecido, ficou em segundo lugar, com 11% dos votos válidos no Ceará.

SINAIS PARTICULARES. Tasso Jereissati, senador (PSDB-CE); por Kleber Sales.

Movimento. Indicado para a presidência da Anatel, Moisés Moreira ainda não foi sabatinado pelo Senado, mas já participa de jantar com representantes das operadoras. O encontro ocorreu na semana passada na casa de Fabio Andrade, ligado à Claro. Procurado, Andrade não ligou de volta.

Olho gordo. A vaga na Anatel está cobiçada porque o novo presidente vai decidir onde aplicar R$ 1 bilhão do fundo criado pelas operadoras de telefonia para gerir os recursos arrecadados com os leilões de faixa de frequência.

Cobiça. A radiodifusão quer ficar com esse saldo para financiar a troca das retransmissoras de televisão, mas isso não está previsto no edital.

CLICK. O deputado Esperidião Amin (PP-SC) aproveitou o feriado para comemorar sua eleição ao Senado na festa da Oktoberfest. Amin foi o mais votado no Estado.

Reprodução/Instagram Esperidião Amin

Agora vai. Otávio de Noronha, do STJ, quer definir o foro dos desembargadores até o fim do ano. Pela restrição do STF, os casos só iriam para o STJ se houvesse relação direta com os cargos que ocupam. Mas há receio de que a hierarquia com juízes de 1.º grau possa contaminar os julgamentos.

PRONTO, FALEI!

Líder do MDB no Senado, Simone Tebet. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

“Nem PT, nem PSL. A maior bancada na Câmara é a feminina, com 77, um aumento de 51% e 100% unida no combate à violência e por igualdade de direitos”, DA LÍDER DO MDB NO SENADO, SIMONE TEBET.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABOROU RAFAEL MORAES MOURA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.