Jucá espera dois votos a mais na votação final do impeachment

Peemedebista quer chegar aos 61 votos. Na votação desta madrugada, foram 59 votos a favor do impedimento

Coluna do Estadão

10 de agosto de 2016 | 03h12

Principal interlocutor do Planalto no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) espera conseguir mais dois votos a favor do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. Até a votação final, prevista para o fim deste mês, o peemedebista diz acreditar ser possível conquistar os votos do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e de “um baiano”, alcançando 61 votos. Na votação desta madrugada, foram 59 votos favoráveis ao relatório pró-impeachment.

Renan não votou na sessão da madrugada desta quarta-feira, 10. No intervalo da votação, Jucá brincou que lançaria a campanha #votaRenan, para convencer seu correligionário a tomar uma posição. Ao longo das cerca de 17 horas de sessão, o presidente do Senado chegou a dedilhar a mesa de votação, mas, na hora H, não se manifestou.

Já o baiano cortejado pelo Planalto é o senador Otto Alencar (PSD-BA), que votou contra o impeachment, mas afirma que pode adotar postura diferente na votação final. Ele alega que o contexto político será outro e o governo do interino Michel Temer já estará mais consolidado.

Alencar esteve com Temer nesta terça-feira, 9, em cerimônia oficial no Palácio do Planalto. Temer fez questão de mencionar o senador baiano em seu discurso e ainda concedeu espaço para que ele se manifestasse. (Julia Lindner)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.