Joice reagrupa forças em São Paulo contra clã

Joice reagrupa forças em São Paulo contra clã

Coluna do Estadao

26 de setembro de 2019 | 05h00

Deputada Joice Hasselmann. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

A manobra do diretório do PSL-SP, presidido por Eduardo Bolsonaro, para emplacar um desafeto de Joice Hasselmann no comando da seção paulistana do partido mobilizou a líder do governo e seus aliados a reagrupar forças. Ela convidou para um jantar em sua casa um grupo de aliados e até mesmo quem outrora era adversário, como Major Olímpio, novo inimigo do clã Bolsonaro. A estratégia dela é esticar a corda internamente até onde puder. Se não conseguir, deve pular fora, implodindo de vez o núcleo paulista campeão de votos no ano passado.

Chega… Aliados da líder do governo no Congresso conversaram com Levy Fidelix, do PRTB, que garantiu portas abertas ao grupo.

…mais. Pesa a favor do PRTB o fato de não representar rompimento com o bolsonarismo (é o partido de Hamilton Mourão).

Vixe. Para o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP), o grupo que chegou ao poder com Eduardo Bolsonaro padece de “imaturidade”, e está determinado a derrubar líderes de diretórios municipais “sem sequer avisar antes”.

Outro. Raquel Dodge, antes de deixar o cargo de PGR, pediu ao STF o arquivamento de investigação contra os senadores Renan Calheiros e Jader Barbalho por supostas propinas em Belo Monte. Entendeu que o inquérito não tem provas.

CLICK. Rodrigo Maia recebeu, com parlamentares de esquerda, o cacique Raoni. O indígena foi criticado nominalmente por Jair Bolsonaro em seu discurso na ONU.

Coluna do Estadao

Cartão. No dia em que Augusto Aras foi sabatinado (e aprovado) para assumir a PGR, o primeiro colocado da lista tríplice da categoria, Mário Bonsaglia, levou a Rodrigo Maia um pedido: não pautar no plenário o Acordo de Alcântara (menina dos olhos de Eduardo Bolsonaro), enquanto o Ministério Público não emitir parecer.

SINAIS PARTICULARES.

Eduardo Bismarck, deputado federal (PDT-CE)

Kleber Sales

Asa branca. O deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE) é relator na CCJ do projeto que institui o Dia Nacional do Sanfoneiro. Já mobilizou seu gabinete para encontrar um deles: quer levá-lo para a comissão no dia da votação.

PRONTO, FALEI!

Fabiano Contarato. FOTO: GABRIEL LORDELLO/ESTADÃO

Fabiano Contarato, senador (Rede-ES): “Augusto Aras tem que entender que ele é guardião do Estado democrático de direito e tem que defender princípios e garantias, doa a quem doer. Se tiver que atuar contra o Presidente, contra quem for. Espero que, na cabeceira dele, a bíblia seja a Constituição”.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM RENATO ONOFRE E GREGORY PRUDENCIANO

Coluna do Estadão:

Twitter:  @colunadoestadao

Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Instagram: @colunadoestadaoI

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: