Joesley Batista, da J&F, será ouvido na segunda pela PF

Coluna do Estadão

06 de setembro de 2016 | 16h09

Foto: Divulgação PF

Foto: Divulgação PF

O empresário Joesley Batista, alvo da Operação Greenfield, desembarca no Brasil no domingo e será ouvido pela Polícia Federal na segunda-feira. Os advogados dele informaram aos policiais que Joesley está nos Estados Unidos. A Justiça concedeu contra ele mandado de condução coercitiva. Também houve buscas em endereços dele e do irmão, Wesley Batista.

Existem suspeitas de que investimentos dos fundos de pensão Funcef (Caixa Econômica) e Petros (Petrobrás) foram feitos para beneficiar a Eldorado Celulose, empresa do grupo J&F, no valor de R$ 544 milhões. Divididos igualmente entre os dois fundos.

Na próxima semana, o ex-presidente da Funcef Carlos Alberto Caser também deve se entregar.

OUTRO LADO.

“O grupo J&F, com 63 anos de história, 150 mil colaboradores e 50 mil fornecedores no Brasil, reitera que sempre esteve à disposição das autoridades e que sua relação com os fundos de pensão sempre se pautou pela ética e pfela impessoalidade.

Informamos que a participação de Petros e Funcef na Eldorado Celulose vale hoje cerca de R$ 3 bilhões, segundo laudos de duas renomadas auditorias independentes. Esse valor é cerca de seis vezes maior do que o investido por eles em 2009, que foi de R$ 550 milhões.

Lamentamos a forma pela qual a companhia foi exposta. Estamos empenhados para impedir que isso venha a causar prejuízos a nossos colaboradores, suas famílias, parceiros e investidores.

Estamos confiantes de que, juntos, trabalharemos pela continuidade do crescimento sustentável da J&F e de todas as suas empresas.” (Andreza Matais e Fabio Serapião)

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: