J&F faz pente-fino em delações para tentar salvar a sua

J&F faz pente-fino em delações para tentar salvar a sua

Coluna do Estadão

24 Maio 2018 | 05h30

Joesley Batista, sócio da J&F Foto: Felipe Frazão/Estadão

Advogados de executivos da J&F começaram a fazer um pente-fino nas contradições de delatores de outras empresas para buscar evidências de que seus clientes estariam recebendo tratamento mais duro. Enquanto a PGR pediu a rescisão do acordo de colaboração da J&F por omissões, com outros delatores não houve o mesmo rigor. O lobista Júlio Camargo, por exemplo, não contou ter repassado propina a Eduardo Cunha. O juiz Sérgio Moro manteve os benefícios dele mesmo assim. Considerou que Camargo omitiu o fato por receio de retaliações.

Debruçados. A lupa da J&F também mira nas delações do ex-senador Delcídio Amaral e do diretor de relações institucionais da Hypermarcas Nelson Mello, sobre as quais há suspeitas de omissão, mas não ameaça de rescisão.

Faca no pescoço. O contra-ataque da J&F ocorre no momento em que a PGR pediu novamente a anulação do acordo. A palavra final será do ministro do STF Edson Fachin.

Retrovisor. Aliados de Michel Temer o alertaram para reverter a situação dos caminhoneiros o mais rápido possível sob o argumento de que a pior crise do governo de Salvador Allende, no Chile, se deu por causa de desabastecimento.

Ação e reação. Governadores de Rio, Minas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Acre e Mato Grosso ameaçam entrar com ação no STF, caso o Congresso zere a cobrança da Cide para reduzir o preço dos combustíveis.

Oremos. O governador do Piauí, Wellington Dias, disse que a medida é inconstitucional porque retira R$ 2 bilhões de restauração das estradas. “Isso é descobrir um santo para cobrir outro”, afirmou ele.

Pires na mão. As queixas também abrangem o bloqueio de R$ 14 bilhões do FPE e de uma fatia da DRU. Em todos os casos, os governadores prometem entrar na Justiça.

 

Queixa. O ministro Luís Roberto Barroso reclamou da pressa do presidente do TSE, Luiz Fux, para encerrar a sessão que aprovou 30% do fundo eleitoral para as mulheres: “Todo mundo queria fazer um frufru.”

SINAIS PARTICULARES: Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo e do TSE; por Kleber Sales

Topa? A bancada do PR avalia uma solução para convencer Josué Gomes a se candidatar ao Planalto. A saída é dividir as despesas da campanha com os aliados DEM, PP, PRB, Solidariedade e PSC.

Garantia. Magno Malta (PR-ES) só aceita ser vice de Jair Bolsonaro se sua mulher, a cantora gospel Lauriete Rodrigues, for a candidata do PR ao Senado. Ela já foi deputada federal.

Cobertor curto. O presidenciável Ciro Gomes (PDT) identificou uma reação negativa no seu movimento de aproximação com o PP. Parte de seus eleitores não gostou de saber que o candidato poderia se unir ao partido “que apoiou o impeachment de Dilma”.

CLICK. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) fez o meme para justificar sua decisão de apoiar a candidatura do desconhecido general Theophilo ao governo do CE.

FOTO: Assessoria Tasso

Eu vou! Amigo de Eduardo Azeredo, o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) já planeja visitá-lo na prisão.

Vossa Excelência, Neymar. O STF deve mudar o horário da sessão do dia 27/6, para não coincidir com o jogo de Brasil e Sérvia na primeira fase da Copa.

PRONTO, FALEI! 

“Temer conseguiu um feito que nenhum outro presidente já conseguiu: prender 513 deputados em Brasília sem combustível para voltar para seus Estados”, DO DEPUTADO SILVIO COSTA (AVANTE-PE).

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE. COLABORARAM VERA ROSA E RAFAEL MORAES MOURA 

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão