Janot abre guerra com Câmara dos Deputados

Janot abre guerra com Câmara dos Deputados

Coluna do Estadão

26 Agosto 2017 | 05h30

Foto: Dida Sampaio/Estadão

 

Às vésperas de deixar a Procuradoria-Geral da República, Rodrigo Janot ajuizou ação no STF contestando o sistema de previdência própria dos parlamentares. A medida revoltou dirigentes da Câmara, que fizeram chegar a Janot o recado de que o troco virá com a votação de novas regras para a aposentadoria dos procuradores. Na ação, Janot diz que a “concessão de benefícios previdenciários com critérios especiais distingue indevidamente determinados agentes políticos dos demais cidadãos e cria espécie de casta”. A Câmara vai recorrer. O Senado também é atingido.

Como é. Os congressistas se aposentam com o salário integral (hoje R$ 33,7 mil), se tiverem 35 anos de contribuição e 60 de idade. Os procuradores que ingressaram na carreira até 2013, como Janot, também recebem o salário da ativa.

Bonde do Congresso. Em meio às discussões sobre a revisão da meta fiscal, pelo menos cinco deputados governistas devem se ausentar da votação para acompanhar o presidente Michel Temer na viagem à China.

Voltinha. Na comitiva presidencial, embarcam deputados formadores de opinião do PMDB, DEM e Centrão, que pressionam Temer a punir o PSDB pelas críticas ao governo. Oito ministros também devem acompanhar Temer.

Check-in. A comitiva presidencial para a China fará um pit stop em Portugal, para abastecer as aeronaves. Lá, ficarão hospedados no Hotel Ritz Four Seasons, com diária média de R$ 3.752, a suíte.

No ar. As bancadas do Norte e Nordeste pressionam pela votação no Senado de projeto que propõe uma alíquota máxima de 12% de ICMS sobre o combustível dos aviões. A proposta já passou por todas as comissões temáticas.

Expansão. Com o combustível mais barato, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas calcula que poderão ser criados pelo menos 74 novos voos no País.

Cupido. O ministro Aloysio Nunes passa os dias autorizando casamentos. Para casar com estrangeiros, funcionários do Itamaraty dependem do aval do chanceler. Ele jura que nunca partiu um coração.

SINAIS PARTICULARES – ALOYSIO NUNES FERREIRA
ILUSTRAÇÃO – KLÉBER SALES

No bolso. A Justiça Eleitoral desaprovou as contas do diretório municipal do PT. A decisão obriga o partido a devolver R$ 9.277,11 aos cofres públicos e o impede por cinco meses de receber fundo partidário.

Tá tranquilo. O presidente do PT paulistano, Paulo Fiorilo, diz que entrou com recurso, o que suspende a punição. “São questões técnicas. Onde houver erro, a gente conserta”, diz ele.

É de graça. O ex-presidente Lula acalenta o sonho de ter Silvio Santos como seu vice em 2018.

CLICK. Em Vitória, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, participa com a senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) do evento para comemorar o novo aeroporto local.

Foto: Facebook Rose de Freitas

Fala menos! O empresário Joesley Batista confidenciou a interlocutores que torceu em pensamento para que o senador Aécio Neves fosse mais contido nas conversas gravadas por ele para usar como prova em sua delação premiada. Suas preces não foram ouvidas.

Todo mundo quer. A comissão que vai discutir os supersalários na Câmara dos Deputados ainda não saiu porque está havendo disputa nas bancadas pelas 34 vagas.

 

PRONTO, FALEI!

“A caixa-preta da Casa da Moeda precisa ser aberta. Há escândalo na área de saúde, na compra de papel-moeda”, DO DEPUTADO JÚLIO DELGADO (PSB-MG) sobre a firma gastar R$ 8 milhões com médicos, como revelou a Coluna do Estadão.

 

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Mais conteúdo sobre:

Rodrigo JanotCâmara dos Deputados