Isenção de visto para indianos não avança

Isenção de visto para indianos não avança

Coluna do Estadão

25 de fevereiro de 2020 | 05h00

Bolsonaro e Narendra Modi

Foto: Altaf Hussain / REUTERS

Quatro meses após ter anunciado a isenção de visto para indianos, o governo brasileiro ainda não avançou para efetivar a medida. Diplomatas dos dois países afirmam que a probabilidade maior neste momento é pela adoção do chamado e-visa, em que o turista faz o pedido diretamente pela internet, superando barreiras burocráticas, porém, ainda sem a isenção total, como esperado por empresários. O Itamaraty ainda vê com muita cautela a liberação total do visto e tem avaliado o risco de imigração em massa. A Índia é um país super populoso.

Nem tanto. Autoridades ligadas ao governo indiano, porém, afirmam que o perfil do Brasil não é tão atrativo para os imigrantes indianos quanto os Estados Unidos, por exemplo.

Obstáculos. Há a barreira da língua, a comunidade indiana não é grande em terras brasileiras e o Brasil é considerado caro.

Sumiu. Em meio à inclusão de novos países na lista de alerta do novo coronavírus, o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, não se pronunciou e nem apareceu ontem. Coube ao secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Wanderson Oliveira, falar com a imprensa.

Aliás. Rodrigo Maia e os deputados Marcos Pereira, Elmar Nascimento e Pedro Paulo estão em missão oficial na França, um dos países incluídos na lista de atenção ao coronavírus. De acordo com um dos integrantes do grupo, a questão ainda está em “observação”.

Gotham. Perguntado por repórteres sobre o carnaval, o ministro do STF Ricardo Lewandowski brincou que já estava fantasiado de Batman. Explicou: seu neto, ao vê-lo de toga na TV Justiça, diz que ele está como o super herói.

SINAIS PARTICULARES.
Ricardo Lewandowski, ministro do STF

Ilustração: Kleber Sales

Alerta. Os grandes escritórios de advocacia de Brasília estão preocupados com a aprovação da proposta que regulamenta a prisão após condenação em segunda instância, em trâmite na comissão especial do tema.

Alerta 2. O temor é de que a medida, que deve incluir outras áreas como cível e tributária, esvazie os trabalhos junto ao STJ e ao STF. Advogados têm atuado para que os parlamentares desistam da medida.

Partiu. O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, prepara com o procurador-geral da República, Augusto Aras, um seminário para debater notícias falsas. Dias Toffoli, presidente do STF, onde existe um polêmico inquérito sobre o assunto, também quer participar.

CLICK. Em seu último ano de mandato, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), foi homenageado pelo Afoxé Filhos de Gandhy. “Energia inexplicável”, afirmou.

Instagram: @acmnetooficial

Polêmica. O desfile da Mangueira, que retratou Jesus em diferentes versões, como mulher e negro, por exemplo, dividiu deputados nas redes sociais.

Ponto… Carlos Jordy (PSL-RJ) afirmou que a representação é “uma heresia, é diabólico, pois coloca o filho de Deus refém de uma ideologia, de uma construção social que nega a criação e o Criador como se o homem pudesse remodelar o que Deus criou”.

… e contraponto. Paulo Teixeira (PT-SP) disse que “a Mangueira fez a maior denúncia político-social deste período”.

Foi mal. O grupo de advogados Prerrogativas é apoiador do bloco Soul Chico, e não criador conforme publicado pela Coluna.

BOMBOU NAS REDES!

Foto: REUTERS/Adriano Machado (10/12/18)

Carlos Alberto dos Santos Cruz, general do Exército e ex-ministro da Secretaria de Governo: “Confundir o Exército com alguns assuntos temporários de governo, partidos políticos e pessoas é usar de má-fé, mentir e enganar a população.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM RAFAEL MORAES MOURA E MATEUS VARGAS.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: