Investigação de supersalários de juízes não avança no CNJ

Investigação de supersalários de juízes não avança no CNJ

Coluna do Estadão

03 Junho 2018 | 05h30

Foto: André Dusek/Estadão

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ainda não avançou na apuração de eventuais irregularidades nos supersalários da magistratura. Em agosto do ano passado, a presidente do CNJ, ministra Cármen Lúcia, determinou que tribunais de todo o País enviassem ao conselho as remunerações dos seus juízes, que foram publicadas no portal do conselho. A ministra havia prometido acionar a Corregedoria do CNJ para apurar possíveis abusos e até sinalizou a criação de uma comissão para se dedicar ao tema, mas as promessas não saíram do papel.

Recordar é viver. Pelo menos 14 integrantes do CNJ receberam em 2017 rendimento acima do teto (R$ 33,7 mil). O conselheiro Aloysio Corrêa da Veiga, do TST, embolsou R$ 110 mil em dezembro. Eles negam irregularidades. O CNJ não se manifestou.

Celeiro. O novo presidente da Petrobrás, Ivan Monteiro, é mais um ex-vice-presidente do BB na gestão de Aldemir Bendine a ascender. O grupo ainda conta com Paulo Caffarelli, atual presidente do BB; o antecessor dele, Alexandre Abreu, e o ex-presidente da Previ Ricardo Flores.

Preferidos. Quando assumiu o comando do BB, em 2009, Bendine, atualmente preso pela Lava Jato, disse ao O Globo que admirava dois profissionais: Dan Conrado, que também foi seu vice-presidente, e Ivan Monteiro, “que nasceu em Manaus e chegou ao Rio criança. É tão carioca que joga vôlei na praia domingo”.

Queridinho. O presidente Michel Temer enxugou o orçamento de todos os ministérios para atender às demandas dos caminhoneiros. Apenas uma pasta não sofreu cortes: o Ministério dos Direitos Humanos.

TMJ. Em reunião reservada na quinta com 27 presidentes estaduais da Assembleia de Deus, o presidente Temer ouviu do bispo Manoel Ferreira que ele pode contar com a congregação.

O segredo. E contou o motivo. Temer foi o único presidente a nomear dois pastores da igreja ministros. Ronaldo Nogueira (ex-Trabalho) e Ronaldo Fonseca (Secretaria-Geral).

SINAIS PARTICULARES: MICHEL TEMER, presidente; por Kleber Sales

Paradinha. O processo em que o ex-presidente Lula, o ex-senador Delcídio do Amaral e outros cinco são acusados de obstrução da Justiça aguarda sentença do juiz Ricardo Leitte, da 10.ª Vara Federal de Brasília, desde novembro.

Para lembrar. Eles são acusados de tentar obstruir a Justiça comprando o silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, um dos delatores do esquema de corrupção na estatal

Próximo. O Ministério Público pediu a absolvição de Lula por falta de provas.

CLICK. Novo primeiro-ministro da Espanha, o socialista Pedro Sánchez visitou o Instituto Lula em 2015 e chamou o ex-presidente de “referência da boa política”.

FOTO: INSTITUTO LULA

Decoro. O deputado federal Alfredo Kaefer (PP-PR) vai representar contra o colega Giacobo (PR-PR) na Corregedoria da Câmara. Alega ter sido xingado de “vagabundo” após desentendimento no plenário.

Do seu jeito. A Anac vai passar a aceitar o uso de nome social nos documentos eletrônicos para embarque em voos domésticos. O pedido partiu do Ministério dos Direitos Humanos.

A SEMANA

Quarta-feira, 6

Sabatina de pré-candidatos à Presidência

Presidenciáveis participam de sabatina promovida pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal

Quarta-feira, 6

STJ discute limitação do foro de governadores

Após o STF restringir o foro especial de parlamentares, a Corte Especial do STJ decide se isso se aplica a governadores

COM NAIRA TRINDADE. COLABORARAM BRENO PIRES, RAFAEL MORAES MOURA E FÁBIO SERAPIÃO

 

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão