Inteligência das Forças aponta tensão nas ruas

Inteligência das Forças aponta tensão nas ruas

Coluna do Estadão

23 de maio de 2019 | 05h00

A despeito de enxergarem algum êxito da agenda bolsonarista das ruas e redes sociais na aprovação da MP da Esplanada, militares de alta patente e da ativa avaliam que, neste momento, os protestos convocados para domingo não contribuem para a pacificação do País. O alerta vem da área de inteligência das Forças. Nos grupos de caminhoneiros, por exemplo, a temperatura está bastante alta. Se os índices de desemprego se mantiverem elevados e a sensação de um Brasil estagnado persistir, o ambiente estará propício para radicalizações, alertam.

Riscos. Nos grupos dos caminhoneiros, há muita reclamação relativa às condições de trabalho. Circulam vídeos mostrando motoristas drogados. “Olha o perigo que corremos”, diz uma das mensagens, com emojis raivosos.

Escalada. Para um ex-ministro da Educação, a crise nas universidades ainda manterá potencial aglutinador. Segundo ele, paixão e falta de dinheiro põem as pessoas nas ruas, e o discurso do presidente em favor de cortes e contra os manifestantes é gasolina pura.

Pavio… Enquanto militares na ativa e de alta patente tentam manter certa distância das manifestações de domingo, generais da reserva ainda falam grosso.

…aceso. Rocha Paiva, bolsonarista, fez circular em redes sociais texto de sua autoria: “Não queremos golpe nem ditadura, por isso, nossa luta é pela moralização e ela só virá com um Legislativo e um Judiciário que se autodesinfetem”.

Eu e eu. Entre o pessoal da ativa, há previsão da participação de praças, soldados e cabos, mas como uma adesão individual deles, não como apoio das Forças.

Só por isso. Bolsonaristas estão se vacinando contra manifestações esvaziadas: dizem que o fato de o Centrão ter “cedido” e votado a MP 870 e a ausência do presidente desestimulam participantes. Ah tá…

Ocupado. Alguns deputados do PSL, menos radicais, buscam maneiras de fugir dos atos. Marcelo de Freitas, que relatou a reforma da Previdência na CCJ, vai entregar 675 viaturas e distribuir R$ 1 milhão em emendas para a saúde.

CLICK. Circulou no WhatsApp do PSL foto de Kim Kataguiri (DEM-SP) conversando com Marcelo Freixo (PSOL-RJ). O líder do MBL foi chamado de comunista.

Reprodução Twitter

De fora. O Código de Ética do PSDB não vai retroagir. Para os autores, a marcha à ré abriria margem para punições do partido serem judicializadas e derrubadas pelo TSE por não haver previsão na legislação. Assim, não deve alcançar o deputado Aécio Neves (MG).

Elevado. O vereador de São Paulo Caio Miranda (PSB) participa na próxima segunda, dia 27, da Audiência Pública na Assembleia paulista sobre o projeto do Parque Minhocão. O encontro contará com a deputada Janaína Paschoal (PSL), que tem ressalvas ao projeto.

PRONTO, FALEI!

DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Capitão Augusto (PR-SP), deputado federal: “Só ficarei na manifestação se for em apoio à reforma da Previdência e ao governo. Se for para pedir intervenção e fechamento do STF, não participarei.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao