Instituto prevê alento de R$ 972 bi com reforma

Instituto prevê alento de R$ 972 bi com reforma

Coluna do Estadão

23 de abril de 2019 | 05h00

Ministro da Economia, Paulo Guedes. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Apesar de o governo alardear R$ 1 trilhão de economia com a reforma da Previdência, cálculos preliminares do Instituto Financeiro Independente do Senado (IFI) estimam que a proposta de Paulo Guedes, no melhor dos mundos para o ministro (sem alterações significativas do Congresso), trará um alento de R$ 972 bilhões em 10 anos. Para elaborar o relatório, o IFI projetou os efeitos fiscais do projeto com base no modelo da Lei de Diretrizes Orçamentárias. Até agora, a Economia não abriu as planilhas de cálculo, o que tem gerado desgaste.

Lápis. A projeção preliminar do IFI estima em R$ 130 bilhões a economia com o regime próprio federal. De acordo com o diretor executivo do instituto, Felipe Salto, os dados definitivos do estudo serão divulgados em breve.

Buraco. O governo deixou de considerar o impacto que as alíquotas progressivas de contribuição vão ter na arrecadação do Imposto de Renda dos contribuintes. Somando regimes geral e próprio, chega a R$ 10,23 bi, diz o instituto.

Muita calma… A novela dos cálculos da Previdência causou mal-estar entre os líderes da Câmara. Rodrigo Maia entrou em campo e avisou a eles que o compromisso de Rogério Marinho é de abrir os números, mas só depois da CCJ.

…nessa hora. A equipe econômica teme que, se mostrá-los antes, pode tumultuar ainda mais a votação na CCJ. “Qualquer motivo é motivo”, disse um membro do governo.

Eu, não. De acordo com integrantes da CCJ, a alteração de pontos laterais da reforma na comissão foi motivada por vaidade: não queriam ficar com a imagem de chapa-branca.

Uma batalha por vez. Como depende de aprovação do Congresso, deverá ficar para o ano que vem a proposta da Secretaria de Desburocratização, do Ministério da Economia, de reduzir parte das 309 carreiras do serviço público federal.

Calculadora. O senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) recebe hoje auditores fiscais e procuradores de seis Estados (RS, PR, SP, MG, MT e PA). Vão discutir a Lei Kandir e juros da dívida.

SINAIS PARTICULARES. Rogério Marinho, secretário de Previdência

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Brecha… O posicionamento da AGU, embora contrário ao mandado de segurança da ANPR no âmbito do inquérito do Supremo sobre fake news, deu a deixa de que o instrumento deve ser via habeas corpus. Detalhe: o remédio foi protocolado na semana passada, mas segue na mesa de Toffoli, sem nem sequer indicação de relator.

… pequena. “Se o STF declarar que não tem nenhum procurador sendo investigado, já estou no lucro, porque por enquanto não se sabe, a portaria é sigilosa. Agora, a questão do inquérito vai além: é absolutamente irregular”, disse José Robalinho, presidente da ANPR.

CLICK. O juiz federal Marcelo Bretas assistiu à final do Campeonato Carioca ao lado do governador Wilson Witzel. O Flamengo, time para o qual torcem, foi campeão.

FOTO: TWITTER MARCELO BRETAS/REPRODUÇÃO

Massa… Entre generais e militares palacianos ouvidos pela Coluna, o entendimento é de que, quanto mais Olavo de Carvalho os critica, como fez no fim de semana, mais eles ganham apoio na opinião pública.

…de bolo. Para esses militares, a nota de Bolsonaro dizendo que os ataques não contribuem para o governo foi mais firme e assertiva do que o vídeo com os disparos de Olavo no sábado.

Time. Bolsonaro participara dias antes da cerimônia em comemoração do aniversário do Exército.

Gratidão. “Não vejo ressonância do que ele (Olavo) disse em Bolsonaro. A gente acreditava que o presidente ia se posicionar, a nota foi importante”, disse o general Ramos, comandante militar do Sudeste.

Best friends. A propósito, o feriado de Bolsonaro no Guarujá (SP), onde deu até uma voltinha de motocicleta, teve participação especial do general Ramos, seu amigo de longa data.

A ver. A aposta agora é que a nota de Bolsonaro consiga dar um freio em Olavo de Carvalho.

PRONTO, FALEI!

Deputado Augusto Coutinho. FOTO: CLEIA VIANA/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Augusto Coutinho, líder do Solidariedade (PE): “Acho que deve votar hoje, até para não passar uma imagem equivocada para a opinião pública”, sobre a análise da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: