Insatisfações colocam PMDB em ebulição

Insatisfações colocam PMDB em ebulição

.

Luiza Pollo

21 de fevereiro de 2017 | 05h00

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

Apesar de ter o comando do governo, o PMDB passa por seu pior momento interno desde a posse de Michel Temer, com várias crises deflagradas ao mesmo tempo. No Senado, o pesado tom do discurso do senador Romero Jucá (RR) exibiu o desconforto de integrantes da cúpula do partido pelos desdobramentos da Lava Jato. Na Câmara, em entrevista à Coluna, o vice-presidente da Casa, Fábio Ramalho (MG), reclama do mau tratamento recebido do núcleo político de Temer. O PMDB também entrou em choque com PSDB e PP por espaço.

Um cacique do PMDB resumiu assim o discurso do colega de partido: “Jucá sendo Jucá”. Quem convive com o senador nos bastidores já tinha ouvido o desabafo tornado público na sessão plenária de ontem.

Colegas de Jucá também dizem que ele está de salto alto por ter certeza de que será reeleito senador depois que Teresa Surita (PMDB), sua ex-mulher, ganhou em 2016 a disputa pela prefeitura de Boa Vista com 79,39% dos votos.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

PMDB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.