Imagens não revelam autor de fraude no Senado

Imagens não revelam autor de fraude no Senado

Coluna do Estadão

22 de abril de 2019 | 05h00

Plenário do Senado. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Transcorridos dois meses e meio, o mistério sobre os 82 votos para a presidência do Senado ainda não está perto do fim. Em reunião na semana passada, o corregedor da Casa, Roberto Rocha (PSDB-MA), foi pressionado pelos colegas a apontar um responsável pelo voto a mais na urna, como forma de responder à opinião pública e evitar agravar o desgaste do Senado. Mas, pelas imagens analisadas até o momento, não é possível identificar com clareza o autor. “Se não tiver 100% de certeza, não vou apontar o dedo para ninguém”, afirma Rocha.

Tribunal. Caso a apuração do episódio chegue a um nome, ele será levado ao Conselho de Ética. Se o autor da infração for um senador, o parlamentar está sujeito até à cassação.

Contra o relógio. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pediu ao corregedor para acelerar a apuração. Rocha reuniu a equipe da Polícia Legislativa para avaliar se ainda há linhas de investigação.

SINAIS PARTICULARES
Davi Alcolumbre, presidente do Senado (DEM-AP)

Ilustração: Kleber Sales/Estadão

Em campanha. Tentando pegar carona na onda dos cabeças pretas do PSDB, Arthur Virgílio Bisneto participou no sábado de um encontro de Formação Política do PSDB. O interesse de Bisneto é claro: se lançar candidato ao governo do Amazonas em 2022.

Mais de mil. Em meio à controvérsia com o bispo Edir Macedo, o Itamaraty informou que concede em torno de 1,2 mil passaportes diplomáticos por ano. Em 2017, foram 1.312 documentos, número que caiu para 1.267 em 2018.

Penduricalho. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) deve analisar nesta terça-feira um aumento de R$ 1.068 para R$ 1.561,80 no auxílio-alimentação de juízes do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE).

Idas e vindas. O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, abriu caminho para o reajuste, mas depois suspendeu o pagamento concedido para driblar as perdas com as regras do auxílio-moradia.

Dúvida. Há grande apreensão no PSDB sobre como será o comportamento do PSL na Assembleia em relação ao governo João Doria. A aposta é de que será uma oposição branda.

Global. Especialistas do FBI e da Polícia Federal e dirigentes do Facebook, Google, Twitter e WhatsApp vão participar do seminário internacional “Fake News e Eleições”, que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai promover nos dias 16 e 17 de maio, em Brasília.

Tô de olho. O objetivo do evento é discutir propostas de combate à disseminação de notícias falsas, tendo em vista as eleições municipais do ano que vem. O conselho do TSE sobre o tema ainda não se reuniu depois do pleito do ano passado, que teve muitas polêmicas.

CLICK. A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, utilizou o Twitter para postar vídeo de super-heróis com a mensagem “Jesus, meu herói”.

Crédito: Twitter Damares Alves/ Reprodução

Laços de família. Réu confesso, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, preso pela Lava Jato, vai ser avô pela segunda vez. O ex-deputado Marco Antônio Cabral espera a chegada de Catarina.

Recordar é viver. No ano passado, Cabral pegou no colo seu primeiro neto, Marco Antônio, também filho do ex-parlamentar, após uma audiência na sede da Justiça Federal no Rio de Janeiro. O ex-governador tem procurado colaborar com a Justiça.

PRONTO, FALEI!

Deputado Eduardo Cury. Crédito: Arquivo pessoal

Eduardo Cury, deputado federal (PSDB-SP): “Gastamos com nossa injusta Previdência 20 vezes mais do que em educação básica. Não haverá país do futuro sem reformá-la.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM RAFAEL MORAES MOURA E FELIPE FRAZÃO.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao