Ildefonso Collares e Othon Zanoide foram presos pela “Resta Um”

Ildefonso Collares e Othon Zanoide foram presos pela “Resta Um”

-

Coluna do Estadão

02 Agosto 2016 | 08h22

lava jato

 

Entre os alvos da “Resta Um”, 33a fase da Operação Lava Jato, estão dois ex-executivos da Queiroz Galvão: o engenheiro Ildefonso Collares Filho e Othon Zanoide de Moraes Filho. Os mandados são de prisão preventiva. Outro investigado é Marcos Pereira Reis, que está no exterior. Contra ele há mandado de prisão temporária.

Collares trabalhou durante cerca de 40 anos na empreiteira. Em depoimento à Lava Jato em novembro de 2014, ele afirmou que a construtora fazia contribuições durante as campanhas eleitorais aos partidos políticos que “mais se caracterizam com as características da empresa”. Colares citou como recebedores de doações da Queiroz Galvão o PT, o PMDB, o PP e “mais alguns”.

Moraes também disse em depoimento em 2014 que a Queiroz Galvão criou um comitê, que era presidido por Collares que decidia quem receberia as doações. (Andreza Matais e Fábio Fabrini)