Hartung vê ‘surto de populismo’ nas crises

Hartung vê ‘surto de populismo’ nas crises

Coluna do Estadão

29 de junho de 2020 | 05h00

Paulo Hartung. FOTO: GABRIEL LORDELLO/ESTADÃO

O economista e ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, está preocupado com os rumos dos três Poderes nas crises econômica e sanitária da covid-19. “Acho que tem um surto de populismo no Brasil e os erros praticados na travessia da pandemia vão custar muito caro”, afirmou à Coluna. Sem “fulanizar”, como ele gosta de dizer, atribui o populismo a ações do Congresso, da Presidência e do STF. Cita, por exemplo, o julgamento encerrado semana passada na Corte que proíbe a redução de salário de servidor para equilibrar contas públicas.

Crítica. Para Hartung, o auxílio emergencial de R$ 600 foi “mal desenhado”. “O recurso está chegando a quem não precisa e deixando de fora quem realmente precisa.” Ele defende a ampliação do Bolsa Família, com cadastro amplo.

Lírico. “O poeta Mário Quintana dizia: o futuro é o que estamos fazendo hoje. E, pelo que estamos fazendo, o que nos espera é um futuro de grandes dificuldades e privações”, disse Hartung, que também é mentor político do apresentador Luciano Huck.

CLICK. A secretária Patricia Ellen comemorou aniversário no Palácio dos Bandeirantes, devidamente paramentada para enfrentar a pandemia da covid-19 no Estado.

De malas… O olavista Felipe Cruz Pedri, exonerado da Casa Civil por Braga Netto e lotado no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) desde o fim de abril, vai para a Secretaria de Comunicação, agora no novo Ministério das Comunicações.

… prontas. É o primeiro da ala ideológica a tomar assento na pasta comandada por Fábio Faria, deputado (PSD-RN) de perfil moderado e conciliador.

Curti. Aumentou ainda mais o cacife do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) no Senado após a aprovação do novo marco legal do saneamento. O termômetro: os elogios rasgados por Davi Alcolumbre, Fernando Bezerra e muitos outros.

SINAIS PARTICULARES.
Tasso Jereissati, senador PSDB-CE

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Não curti. O PT não assimilou bem as críticas à defesa que Fernando Haddad fez de Lula em ato suprapartidário pela democracia na sexta-feira passada, publicadas pela Coluna. “Os que tentaram isolar o PT fracassaram e agora tentam diminuir a importância da participação de algumas das nossas lideranças nos atos dos últimos dias”, diz Marco Aurélio de Carvalho.

Perdão? Como forma de tentar se recompor com a ala bolsonarista do PSL, o presidente do partido, Luciano Bivar, elaborou “termo de compromisso” a ser apresentando aos que se mostrarem arrependidos.

Assine aqui. O texto de Bivar diz que todos os deputados rebeldes que quiserem retomar suas atividades partidárias devem firmar o compromisso de abrir mão das ações contra a direção nacional do PSL e retirar o apoio à criação do Aliança pelo Brasil.

Explicando. Como pano de fundo, há uma (nova) disputa interna pelo controle da legenda, uma vez que o partido de Bolsonaro não saiu do papel.

Aula… A pedido do presidente estadual do PTB, deputado Campos Machado, o ex-presidente da OAB-SP Marcos da Costa participará amanhã (30/6) de evento virtual com pré-candidatos a prefeito e vereador do partido no Estado.

…básica. A reunião tem como meta tratar da legislação eleitoral e suas mudanças mais recentes, além dos desafios eleitorais no período de pós-pandemia.

BOMBOU NAS REDES!

Janaina Paschoal. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Janaina Paschoal, deputada estadual (PSL-SP): “Qual lei criminaliza a prática de monetizar vídeos? Eu desconheço! Podem as pessoas ser investigadas por ‘crimes’ não previstos em lei?”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E  MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: