Há 30 anos, delegados de SP pediam a saída do ‘secretário sinistro’ Michel Temer

Há 30 anos, delegados de SP pediam a saída do ‘secretário sinistro’ Michel Temer

Em 1985, Michel Temer era secrerário de Segurança de São Paulo no governo de Franco Montoro

Coluna do Estadão

08 de setembro de 2016 | 16h34

secretario sinistro

Há quase 31 anos, o atual presidente da República enfrentava seu primeiro protesto com gritos de “Fora, Temer”. Reportagem de 6 de outubro de 1985 do Estadão mostra que delegados do Estado de São Paulo reivindicavam a demissão do então secretário de Segurança do Estado, Michel Temer. Ele fazia parte da administração do governador André Franco Montoro e era chamado de “secretário sinistro”.

Naquele ano, a Polícia Civil de São Paulo vivia uma grave crise. A categoria negociava aumento salarial com o governo havia dois anos e se irritou com a decisão de Temer de elevar a Polícia Militar à categoria de autoridade policial. Os delegados criaram um manifesto contra Franco Montoro, pedindo a saída dele e a do secretário de Segurança. Temer considerou o documento “nitidamente político” e disse que a associação tinha o objetivo de desestabilizá-lo.

Em assembleia, o então diretor da Associação dos Delegados, Natan Rozembiat, pediu que 400 delegados presentes gritassem “fora” para Michel Temer. Segundo a reportagem, o protesto durou mais de um minuto. “Quando um secretário de segurança se transforma num legislador supremo da Nação e, embora professor de Direito Constitucional, muda o próprio Código de Processo Penal apenas para satisfazer a oficiais da Polícia Militar, o que é que se depreende desta atitude?”, criticou Rozembiat. A greve foi aprovada e marcada para o dia 14 de outubro.

Não saio. Temer não acreditava que a greve aconteceria, e se negou a deixar o cargo. “Não fui nomeado pelos delegados, e sim pelo governador. E, enquanto eu tiver a sua confiança, permanecerei no cargo”. Se a paralisação acontecesse, o Conselho da Polícia “encontraria formas” para evitá-la. Temer negou, porém, que estivesse “ameaçando” alguém. (Mariana Diegas)

Veja a reportagem do Estadão:

delegados querem demissão de temer

Tudo o que sabemos sobre:

Michel Temer

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.