Guinada de Bolsonaro surpreende médicos que se reuniram com ele

Guinada de Bolsonaro surpreende médicos que se reuniram com ele

Coluna do Estadão

03 de abril de 2020 | 05h00

Presidente Jair Bolsonaro. FOTO: ERALDO PERES/AP

Médicos e pesquisadores que estiveram anteontem com Jair Bolsonaro se surpreenderam com o vídeo postado por ele contra o isolamento social e a quarentena na manhã seguinte ao encontro. A um presidente atento e “atencioso”, o grupo defendeu as medidas restritivas de convívio como única resposta possível à covid-19 neste momento. Os especialistas em cloroquina alertaram diretamente Bolsonaro: os estudos brasileiros sobre o medicamento ainda devem demorar mais dois meses, no mínimo. O presidente tomou notas e falou pouco.

Doctor Jekyll. A conversa foi técnica e rápida. Bolsonaro quis saber como é cuidar de pacientes com a covid-19. As respostas foram diretas: casos graves em UTI são muito difíceis de tratar. As unidades de São Paulo, disse o grupo ao presidente, já estão cheias.

Mister Hyde. No dia seguinte, Bolsonaro disse desconhecer “qualquer hospital que esteja lotado” e repetiu posição contrária ao confinamento e de ataque aos governadores.

Contraponto. Presente ao encontro, Osmar Terra (MDB-RS) fez um ou outro comentário na contramão dos médicos e dos pesquisadores de que no Brasil o vírus poderia ter outro comportamento. Eles retrucaram: não há indícios científicos nesse sentido. PS: Henrique Mandetta não participou da reunião.

Entra… Depois do vai e vem sobre quem presidirá o comitê a ser criado pela PEC do Orçamento de Guerra, se Bolsonaro ou Henrique Mandetta, ficou acertado, ao menos por enquanto, que será o presidente. O ministro da Saúde pode até ficar fora do colegiado.

…e sai. Isso porque, a pedido do governo, saiu do texto a determinação sobre a necessidade de uma nomeação específica. A redação vai citar apenas “ministros de Estado” indicados pelo presidente. O motivo: ter flexibilidade nas nomeações, de acordo com a demanda do momento.

Deixa quieto. O governo cogitou enxertar na PEC pedido para proibir reajuste de agentes públicos durante dois anos, mas achou melhor não entrar em bola dividida. A Economia tem pressa na aprovação.

CLICK. O deputado Daniel Trzeciak (PSDB-RS) defendeu em suas redes a doação de sangue para ajudar no combate ao coronavírus. “Sangue salva vidas”, escreveu.

Reprodução/Instagram

Tive uma ideia. No Bandeirantes, é atribuída ao publicitário Daniel Braga a estratégia que levou João Doria a acenar para o ex-presidente Lula no Twitter.

Ação. Os quatro deputados estaduais do Novo devolverão aos cofres públicos do Estado de São Paulo as economias de seus mandatos no primeiro trimestre deste ano. A intenção é que essa verba seja utilizada contra a covid-19.

Ação 2. Em 2019, a economia do Novo foi de R$ 7,6 milhões com verba de gabinete e com pessoal.

Ajuda. Damares Alves vai reverter recursos de sua pasta para comunidades indígenas e quilombolas.

SINAIS PARTICULARES
Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos

Ilustração: Kleber Sales

Em… Como prova de que os paulistas levaram a sério o início da campanha pelo isolamento do governo do Estado, houve redução acentuada do movimento nas travessias litorâneas.

…casa. Segundo a Secretaria de Logística e Transportes, os dados da travessia Santos-Guarujá, por exemplo, são expressivos: foram 74.504 usuários entre os dias 8 e 14 de março e 30.392 entre 22 e 28.

Mandato. O juiz federal Eduardo Brandão foi eleito para a presidência da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) nesta quinta. Ele substitui Fernando Mendes.

PRONTO, FALEI!

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Weverton Rocha, senador (PDT-MA): “Governo não pode reclamar do Congresso, tem aprovado tudo que eles pediram e muito rápido. O problema deles é gestão. Cadê os R$ 600?”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.