Governo vai criar ‘Trabalhômetro’ para contar empregos criados

Governo vai criar ‘Trabalhômetro’ para contar empregos criados

Luiza Pollo

17 Dezembro 2017 | 05h30

Foto: Reprodução

O governo federal quer instalar um “Trabalhômetro” na Esplanada dos Ministérios. O painel eletrônico será atualizado a cada emprego gerado no País. O placar, ainda sem data para ser inaugurado, vai começar a contar os empregos a partir de 1,1 milhão, número de vagas criadas no último trimestre, segundo o IBGE. O governo estima criar 2 milhões de empregos com as novas regras previstas na reforma trabalhista. O número é a aposta da base de apoio do presidente Temer para conseguir eleger um nome desse grupo para o Planalto em 2018.

Do seu bolso. Uma versão do “Trabalhômetro” foi lançada esta semana na página oficial do governo na internet. A campanha foi criada pela Isobar, agência de publicidade que atende o Planalto. O custo do painel sairá do contrato.

Ser ou não ser. Preparada há meses, a peça publicitária demorou a sair do papel porque os publicitários tinham dúvidas sobre qual número usar. Isso porque há diferença nos dados de trabalho formal e informal. Optou-se pelo segundo, que usa a taxa de desocupação, ou seja, desempregados que obtiveram uma atividade, como dar aulas particulares ou vendee pipoca no semáforo.

Agilidade. Nas redes sociais, a campanha diz que “enquanto você dá um nó na gravata, 12 brasileiros arrumam trabalho. É uma oportunidade gerada a cada 7 segundos”. Mas reconhece que o País tem 13 milhões de desempregados e ainda há muito a fazer.

Caros. A União gasta mais com militares aposentados e seus pensionistas do que com os da ativa. Em 2017, o Tesouro vai pagar R$ 26 bilhões com quem ainda está de farda e R$ 44,8 bilhões com quem já está na reserva.

Nova regra. Além da reforma da Previdência, o governo deverá propor no início do ano novas regras para as aposentadorias dos militares. O ministro Raul Jungmann (Defesa) deve elaborar a proposta.

Sinais Particulares: Raul Jungmann, ministro da Defesa; por Kleber Sales

Fora! O presidente da CNA, João Martins, se queixou ao presidente Temer do ministro Sarney Filho (Meio Ambiente). Ele admite contar nos dedos os dias que faltam para ele deixar o cargo. “Com certeza já vai tarde!” Sarney sai em abril para disputar o Senado.

Preferência. O presidente do PTB, Roberto Jefferson, vai defender o apoio do partido à candidatura de Geraldo Alckmin ao Planalto. Ele não gosta da opção Henrique Meirelles para representar o centro.

Perfis. Para o petebista, o ministro da Fazenda não tem carisma. “Vamos botar um antipático na Presidência?” Sobre o governador, ele diz: “O Alckmin é alegria pura. Você pode xingar ele que ele ri!”

Pra depois. A convenção do PTB que vai definir o apoio será em julho.

CLICK. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) publicou no Instagram uma enquete para saber qual visual seus seguidores preferem: “o antes ou o depois?”

Foto: Instagram Randolfe Rodrigues

Oração… O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, recebeu, de joelhos, uma oração para que seja reconduzido ao mandato de deputado federal em 2018.

…das urnas. “Se esta for a sua vontade, o Senhor vai abençoar, vai abrir as portas e confirmar, mais uma vez, Ronaldo Nogueira como deputado”, disse o pastor, em gravação, durante a Convenção dos Ministros das Assembleias Evangélicas (Conemad). Assista ao vídeo:

A SEMANA! 

Terça-feira, 19

PMDB fará sua convenção nacional em Brasília

O partido do presidente Temer vai discutir a distribuição do fundo eleitoral para os candidatos da sigla em 2018.

Terça-feira, 19

O empresário Marcelo Odebrecht deixa a prisão, em Curitiba

Após ficar dois anos e meio atrás das grades, o herdeiro do maior grupo de construção do País vai para prisão domiciliar.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão