Governo usa youtubers para bombar Saque Certo

Governo usa youtubers para bombar Saque Certo

Coluna do Estadão

01 de agosto de 2019 | 05h00

Adolfo Sachsida. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Sob alegação de falta de recursos para gastar com publicidade e bombar sua grande aposta popular neste segundo semestre, a liberação do saque do FGTS, o governo vai recorrer às redes sociais. O secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, procura youtubers dispostos a explicar pontos do programa, entre eles o porquê da liberação de R$ 500 para cada conta, pois este último acabou até virando meme. Antes de assumir o cargo, Sachsida mantinha um canal no YouTube. O conteúdo dos vídeos variava de ideologia de gênero até privatizações.

De olho. O primeiro vídeo dessa nova safra deve ser publicado no fim de semana em um canal de educação financeira que tem 162 mil inscritos. O governo promete municiar os youtubers com dados sobre o programa Saque Certo.

Ruído. Na avaliação de Sachsida, as críticas ao programa, seja na sociedade ou no Congresso, são em larga medida decorrentes de falhas na comunicação.

Sem bola dividida. O secretário, no entanto, diz que o Congresso é soberano para mudar o texto como melhor entender.

Mudança. “É fundamental que a população veja que a medida amplia os direitos do trabalhador, no sentido de que ele poderá escolher continuar no sistema atual ou mudar para o novo”, afirmou Sachsida.

Tem grana? Segundo o secretário, ninguém será pago: “Não temos dinheiro. Situação fiscal está difícil”.

E no futuro? A relação do governo com os youtubers ainda é um enigma. Há pressão de alas do bolsonarismo para que a máquina federal possa ajudá-los adiante com verbas publicitárias.

CLICK. À revista GQ Brasil que chega às bancas na sexta-feira, o ex-deputado Jean Wyllys avisou: “Me contive em respeito ao meu cargo (…) Se me xingarem, se me ofenderem, eu vou dar tapa”.

FOTO: REPRODUÇÃO GQ BRASIL

Amigo… Chamado por Bolsonaro de “melancia”, o general Rocha Paiva pode divergir do presidente em alguns temas, mas concorda em número e grau com as críticas do “capitão” à Comissão da Verdade.

…estou aqui. “É possível contestar a Comissão da Verdade. Faço críticas a ela desde o início. Lá só tinha um lado da história”, diz Rocha Paiva. Segundo Bolsonaro, o general era “melancia” por ser verde por fora e vermelho por dentro.

SINAIS PARTICULARES
Luiz Eduardo Rocha Paiva, general da reserva

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Briga… Major Olímpio e Coronel Tadeu, ambos do PSL-SP, estão em romaria em busca de apoio para melar a transferência do Campo de Marte da União para os tucanos. Estiveram, entre outros, com o general Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

…paulista. A gestão Covas-Doria quer fazer um parque na área da zona norte de São Paulo. Olímpio diz que será prejudicial para a aviação perder o local. Segundo ele, há espaço para manter os pousos e decolagens e construir um colégio militar na área.

Lobby… Causou mal-estar no Itamaraty a foto do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), indicado informalmente para ocupar a embaixada do Brasil em Washington, defendendo interesses particulares da família indonésia Widjaja.

…internacional. Empresas associadas à família Widjaja são investigadas e alvo de condenações nos EUA e na Indonésia. Além disso, o encontro com representantes do grupo foi agendado por lobistas, um combo incomum no “dress code” da diplomacia.

BOMBOU NAS REDES!

José Serra. FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

José Serra, senador (PSDB-SP): “Ditadura ainda é assunto caro ao País, a todos que foram perseguidos. Fazer pouco-caso disso e ignorar documentos oficiais não é atitude aceitável.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: