Governo tem reação pífia depois de denúncias contra o presidente Temer

Governo tem reação pífia depois de denúncias contra o presidente Temer

.

Marcelo de Moraes

18 de maio de 2017 | 08h25

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Numa tentativa de mostrar que o governo não acabou, depois das denúncias do empresário Joesley Batista contra o presidente Michel Temer, o Planalto encheu suas redes sociais com vídeos de ministros dizendo que está tudo bem.

Mal comparando, é como se o governo usasse um guarda-chuva para se proteger de uma bomba atômica. Vários dos defensores de Temer que gravaram vídeos são eles próprios políticos investigados pela Operação Lava Jato, como é o caso dos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco e do líder do governo no Senado, Romero Jucá.

O plano de defesa é o de tentar dizer que havia notícias positivas na economia essa semana, que o Brasil estava engrenando, mas as novas informações sobre delações premiadas não podiam paralisar esse movimento. O efeito de um vídeo desse tipo é insignificante sobre uma opinião pública já intolerante com o meio público e que dá ao presidente Temer índices baixíssimos de popularidade.

Em seu vídeo, Padilha diz que as denúncias têm de ser analisadas pela Justiça, mas que o País “não pode parar e não vai parar “. É mais ou menos como tentar fazer um carro, com o motor afogado, pegar no tranco. O problema é que o Brasil político já parou, esperando para saber até onde o presidente Temer está envolvido com o novo escândalo.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

Tudo o que sabemos sobre:

Michel Temer

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.