Governo se surpreende com derrota na reforma trabalhista

Governo se surpreende com derrota na reforma trabalhista

Marcelo de Moraes e Naira Trindade

20 de junho de 2017 | 15h09

A derrota de 10 a 9 da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, na manhã desta terça-feira, 20, surpreendeu governistas, que não contavam com os votos contrários dos senadores Hélio José (PMDB-DF) e Eduardo Amorim (PSDB-SE).

Aliados do presidente Michel Temer dizem, de forma reservada, que os dois senadores quebraram um acordo de não participarem da sessão. Era para ambos terem faltado.

À Coluna, Hélio José disse ter resolvido participar mesmo com “dores na coluna após chegar de longa viagem a Taiwan”. Ele afirmou ter ficado surpreso com o resultado e que votou “com consciência”, já que foi diretor da CUT por cinco mandatos.

Apesar da derrota, o texto seguirá normalmente para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde o relator será o líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR) e, depois, para o plenário da Casa.

 

Tendências: