Governo pediu apoio, mas ouviu não de Renan

Governo pediu apoio, mas ouviu não de Renan

-

Luiza Pollo

10 de maio de 2016 | 05h00

BRASILIA/DF 09-05-2016 NACIONAL RENAN CALHEIROS PRESIDENTE DO SENADO RENAN CALHEIROS PRESIDE SESSAO QUE VAI DECIDIR SOBRE A CONTINUACAO DO PROCESSO DE IMPEACHMENT DA PRES.DILMA ROUSSEFF FOTO ANDRE DUSEK /ESTADAO

FOTO ANDRE DUSEK /ESTADAO

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi procurado pelo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo. O ministro apelou a Renan para que concordasse com a suspensão do impeachment, seguindo a decisão de Waldir Maranhão (PP-MA), presidente interino da Câmara. Renan, que foi aliado do governo federal até há pouco tempo, não aceitou e deixou claro seu alinhamento com Michel Temer. Para Cardozo, Renan disse que a medida de Maranhão só serviria para tumultuar o clima político do País.

Siga a Coluna do Estadão:
No Twitter: @colunadoestadao
No Facebook: www.facebook.com/colunadoestadao