Governadores terão prepostos em comissão

Governadores terão prepostos em comissão

Coluna do Estadão

25 de abril de 2019 | 05h00

Governador de São Paulo, João Doria. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Os governadores do PSDB participaram das indicações do partido para a Comissão Especial da reforma da Previdência, junto com a bancada na Câmara. Os titulares escolhidos foram Samuel Moreira (SP), Beto Pereira (MS) e Daniel Trzeciak (RS), dos Estados governados por João Doria, Reinaldo Azambuja e Eduardo Leite, respectivamente. Além do canal direto com os meandros do colegiado, o trio tucano mantém poder de pressão para que outras demandas dos Estados não sejam deixadas de lado por Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro.

Quero mais o quê? Com seus três votos na Comissão Especial (quase 10%), os tucanos podem negociar para que outras pautas andem também. Entre os projetos prioritários, estão a Lei Kandir, Fundeb e a securitização da dívida pública.

O condutor. Eduardo Cury (SP), cotado para relatar, por ora, ficará com uma suplência. Há resistência na bancada tucana a encampar a missão, mas o líder, Carlos Sampaio (SP), é favorável. Samuel Moreira também está bem na fita.

O chefe. Para a presidência da Comissão Especial, o parlamentar na frente na bolsa de apostas é Marcelo Ramos (PR-AM). Para a relatoria, Pedro Paulo (DEM-RJ) ainda corre por fora.

Tiro… Parlamentares atribuem ao governo a divulgação da liberação de R$ 40 milhões em emendas condicionadas a votos favoráveis à Previdência. Enxergam uma iniciativa para desgastar o Legislativo às portas da Comissão Especial.

…porrada… Segundo a Coluna apurou, a negociação para a liberação das emendas corria bem, mas sob sigilo. Um líder chegou a dizer que o governo nunca esteve tão perto de montar uma base de apoio.

…e bomba. Tratava-se de emendas empenhadas (que o governo tinha de liberar de qualquer forma), disseram deputados. De um jeito ou de outro, pegou mal, e a relação azedou.

Aperitivo. Em reunião no Planalto, o deputado Fábio Ramalho convidou Jair Bolsonaro para um de seus famosos jantares com parlamentares. De presente, levou queijos e linguiças mineiras. O presidente topou.

SINAIS PARTICULARES
Olavo de Carvalho, escritor

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Recuo… Na crise com o filósofo Olavo de Carvalho, o vice-presidente Hamilton Mourão foi aconselhado por militares de alta patente a ter uma postura de integrante das Forças Armadas: respeito à hierarquia e “Brasil acima de tudo”.

…estratégico. Esses fardados avaliam que, para o País, o momento é mesmo de colocar água fria na fervura. General Mourão já amenizou o discurso e agora diz que quando um não quer, dois não brigam.

Très chic. Mourão está fugindo dos holofotes para ver se Carlos larga do seu pé. Tem evitado entrevistas, mas ontem à noite falou com o Le Monde. O vice é fluente em francês.

CLICK. O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) intercalou nos seus ‘stories’ do Instagram críticas ao vice-presidente com vídeos dele próprio praticando tiro ao alvo.

FOTO: INSTAGRAM CARLOS BOLSONARO

Express. O Senado aprovou projeto de José Serra (PSDB-SP) que permite reaproveitar dados ambientais na mesma área geográfica para agilizar o licenciamento. O texto vai à Câmara.

Bem na fita. A secretária Patrícia Ellen (Desenvolvimento) foi escolhida por João Doria para coordenar a reunião do Consórcio de Integração Sul-Sudeste (sábado, em SP) com governadores de seis Estados.

PRONTO, FALEI!

Coronel Tadeu. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Coronel Tadeu, deputado federal (PSL-SP): “Em respeito à democracia e às instituições, alguém precisa ceder nessa história: ou o presidente ou o vice-presidente”, sobre mal-estar entre Bolsonaro e Mourão

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, JULIANA BRAGA E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Tendências: