Governadores não devem seguir mudanças no protocolo de uso da cloroquina

Governadores não devem seguir mudanças no protocolo de uso da cloroquina

Coluna do Estadão

19 de maio de 2020 | 05h00

Foto: Gerard Julien/ AFP

O novo protocolo de uso da cloroquina no tratamento de pacientes com coronavírus do Ministério da Saúde deve acabar ignorado nos Estados. Governadores ouvidos pela Coluna, de norte a sul, relatam que não devem editar decretos para acompanhar as mudanças, mantendo o que já vem sendo feito nos seus Estados. Além de não haver nenhuma comprovação científica de que a substância tenha efeito, governadores dizem que o novo protocolo nem de perto atua nos principais problemas da covid-19: falta de respiradores, leitos, etc.

Bula. A Saúde vai anunciar orientação do uso de cloroquina para casos leves, mas com sugestão de dosagem máxima. A proposta já foi apresentada ontem ao presidente, que tem o medicamento como uma “salvação”. O novo protocolo acabou sendo a gota d’água para Nelson Teich na Saúde.

Deixa estar. “A decisão deve ser do médico e do paciente, conforme a orientação atual”, disse Eduardo Leite (PSDB-RS). Já Helder Barbalho (MDB-PA) diz que vai manter as regras “como estão atualmente”.

Tampão. Eduardo Pazuello, apesar de ministro interino, não passou a despachar na sala de Teich. Tem reforçado a interlocutores que sua missão no ministério é a de secretário executivo.

Novos… O Conselho Federal de Medicina (CFM) se reúne amanhã para começar a discutir com sociedades de especialistas o uso do anticoagulante heparina no combate ao coronavírus.

…estudos. Segundo o presidente do CFM, Mauro Luiz de Brito Ribeiro, a ciência hoje aponta a substância como mais promissora no combate à covid-19 do que a cloroquina.

Taokey? Apesar de a aglomeração no ato pró-Bolsonaro em frente ao Planalto ter desrespeitado o decreto de isolamento social, o governador Ibaneis Rocha (MDB) disse não ter “nada contra”. “Pode fazer manifestação à vontade. A Esplanada é palco de manifestações, sempre foi e sempre será.”

Liberados. Onze dos 22 ministros foram à manifestação pró-governo, mas Jair Bolsonaro não fez uma convocação geral. Alguns nem sequer foram convidados.

CLICK. Prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) deu uma pausa na reunião de domingo para assistir à final do Campeonato Brasileiro de 1988, que deu título ao Bahia.

Reprodução/Twitter

Qual a… A suspensão das parcelas de financiamentos da casa própria deixou de fora os beneficiários mais humildes do Minha Casa Minha Vida. O benefício não alcançou a faixa 1 (famílias com renda bruta de até R$ 1.800), porque isso precisa ser alterado por lei.

…prioridade? Ao menos três projetos já foram apresentados ao longo do último mês na Câmara e no Senado, mas todos estão parados. Segundo líderes, as propostas não estão entre as prioridades.

Tá ok. O Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável por gerir o programa, já se posicionou favoravelmente aos projetos. Leia mais aqui.

Memória. O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), fã desde a adolescência do livro Contido a Bala, só relacionou o autor da obra ao repórter que o entrevistava para seu perfil no ano passado quando Luiz Maklouf Carvalho perguntou qual era seu livro favorito.

Pêsames. Quando ouviu a resposta, reagiu: “Ué, esse livro é meu!”. Maklouf morreu no último sábado.

SINAIS PARTICULARES.
Marcelo Ramos, deputado federal (PL-AM)

Ilustração: Kleber Sales

PRONTO, FALEI!

Foto: Werther Santana/Estadão

Campos Machado, deputado estadual (PTB-SP): “Palanque antibolsonarista de Doria não pode ser o parâmetro para decidir abertura comercial”, sobre manter academias e salões de beleza fechados em SP.

COM REPORTAGEM DE MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA (O EDITOR ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.