Governadores apostam em COP sem Bolsonaro para retomar diálogo com Ministério do Meio Ambiente

Governadores apostam em COP sem Bolsonaro para retomar diálogo com Ministério do Meio Ambiente

Alberto Bombig e Matheus Lara

02 de novembro de 2021 | 05h00

Depois de quase três anos de dificuldades no Ministério do Meio Ambiente, governadores da Amazônia Legal apostam na COP-26 para tentar restabelecer o diálogo com a pasta e obter garantias do governo federal na área ambiental. Com a imagem do País arranhada e o clima de desconfiança, o momento é visto como oportuno. A ausência de Jair Bolsonaro no encontro alimenta a expectativa de estreitar presencialmente relações com Joaquim Leite diante da comunidade internacional. O ministro tem tido conversas em grupo com os governadores, algo impensável na gestão de Ricardo Salles, e isso só começou a ocorrer nos preparativos para o evento da ONU que acontece em Glasgow.

E aí? “Não defendo qualquer tipo de iniciativa em que estejamos dissociados”, disse o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB). “Ainda que tenhamos divergências, temos que construir e mostrar para o mundo (capacidade de) diálogo, e o ministério deve ser o condutor desse processo.”

Foto: Divulgação/Governo do Pará

Tô chegando. A comitiva do Consórcio da Amazônia Legal na COP-26 será chefiada por Helder Barbalho e chegará depois de amanhã à Escócia. Mauro Mendes (DEM-MT) e Gladson Cameli (PP-AC) também viajam. O ministro Joaquim Leite tem ida prevista para a semana que vem ao fórum.

Futuro verde. “É importante que nós possamos nos unir para fazermos a defesa do País, da nossa imagem, das nossas relações comerciais e para construirmos alternativas para essa nova economia verde”, disse Mauro Mendes.

CLICK. Pré-candidato do Novo à Presidência, Luiz Felipe d’Avila (segundo à direita) com Vinicius Poit (primeiro), Márcio Ramos, presidente do IFL-SP, e Larissa Bomfim, diretora.

Simples. Do deputado Marcelo Ramos (PL-AM) sobre agressões a jornalistas: “Atitude dos que pretendem a tirania”.

Defesa. Do coordenador do grupo de advogados Prerrogativas, Marco Aurélio de Carvalho, ligado ao PT, sobre a Coluna do último domingo, 31: “Lula não precisa descer do salto. Quem o conhece sabe que ele sequer chegou a subir, e o partido nunca esteve tão tranquilo para fazer o debate sobre corrupção”.

Defesa 2. Segundo Carvalho, “não há espaços para dúvidas quanto à agenda econômica do PT. “O nosso legado de crescimento sustentável, de geração de empregos e de distribuição de riquezas fala por si. Enfrentamos e erradicamos a miséria e a pobreza no país”.

SINAIS PARTICULARES. Jair Bolsonaro, presidente da República. Ilustração: Kleber Sales/Estadão

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MATHEUS LARA

PRONTO, FALEI!

Rodrigo Agostinho (PSB-SP), deputado federal

“O Brasil é aquele aluno que não estuda, não faz o dever de casa, mas quer se dar bem nas provas finais”, sobre promessa do País de corte maior na emissão de gases.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.