Gleisi diz que nem ela tem moral para julgar Dilma

Gleisi diz que nem ela tem moral para julgar Dilma

"Aponto o dedo para uma pessoa e tem três dedos apontados para mim", disse senadora

Coluna do Estadão

26 Agosto 2016 | 13h43

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Ao explicar sua fala de que o Senado não tem moral para julgar a presidente afastada, Dilma Rousseff, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse, nesta sexta-feira, 26, se incluir neste grupo sem condições de avaliar os crimes pelos quais a petista é acusada.

“Não me arrependo (de afirmar que a Casa não tem moral). O Senado não tem moral para julgar a presidente Dilma. Uma parte grande dos senadores está respondendo a processo, inclusive eu”, disse Gleisi. “Me incluo nisso”, afirmou. E complementou: “Estou apontado o dedo para uma pessoa, tem três apontados para mim”.

Gleisi e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) após a investigação policial concluir que os dois receberam R$ 1 milhão de propina de contratos firmados entre empreiteiras e a Petrobrás. O valor teria sido utilizado para custear as despesas de campanha da senadora em 2010. Junto com o casal, foi denunciado o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, de Curitiba.

Gleisi declarou na manhã de quinta-feira, 25, que o Senado não tinha moral para julgar Dilma. A frase deu início a uma briga em plenário na manhã de ontem e voltou a gerar polêmica nesta sexta-feira. (Andreza Matais, Daniel Carvalho e Fábio Fabrini).

 

 

Mais conteúdo sobre:

impeachment