Petistas convocam militantes contra decisão de Gebran Neto

Juliana Braga

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Restam 4 de 5 matérias gratuitas no mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar a partir de R$1,90

Presidente do PT, Gleisi Hoffmann. Reprodução Twitter

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, convocou os militantes a irem às ruas para protestar contra a decisão do desembargador Gebran Neto que determinou a manutenção da prisão do ex-presidente Lula. Segundo ela, as garantias constitucionais foram rompidas. “Todos a Curitiba, todos às ruas”, escreve ela.

Em vídeo publicado mais cedo, a senadora afirma que é “a democracia” quem está em jogo.

Gebran contrariou decisão do desembargador Rogério Favreto, que está de plantão, e mandou soltar o ex-presidente na manhã desse domingo. Ocorre que Favreto não é o juiz do caso, ao contrário de Gebran, e a decisão de prender Lula foi do colegiado do TRF-4. Nesse sentido, o desembargador entendeu que ela não poderia ser revogada numa canetada. O mesmo entendimento teve o juiz Sérgio Moro, relator da Lava Jato.

A ex-presidente Dilma Rousseff também se manifestou nas redes sociais. “A decisão judicial precisa ser obedecida, ainda que contrarie a posição de juiz federal do Paraná, que oficialmente está de férias e não poderia se manifestar.”  A assessoria do TRF-4 informa, contudo, que Gebran não está de férias.

Lula está preso há mais de dois meses na superintendência da PF em Curutiba. Ele foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado acusado de receber um tríplex no Guarujá da OAS em troca de favorecer a empreiteira no governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Siga o Estadão