Galloro diz à família de Bolsonaro que PF vai vasculhar celulares de Adélio

Galloro diz à família de Bolsonaro que PF vai vasculhar celulares de Adélio

Juliana Braga

10 Setembro 2018 | 17h12

FOTO: Fábio Motta/Estadão

O diretor-Geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, disse aos filhos de Jair Bolsonaro (PSL), o deputado estado Flávio e o deputado federal Eduardo, que vai investigar os celulares de Adélio Bispo, preso em flagrante pelo ataque ao presidenciável. Os três conversaram em Brasília, na sede da Polícia Federal.

Com os aparelhos em mãos, o objetivo da PF é vasculhar o conteúdo de mensagens de texto mandadas seja por SMS ou por aplicativos como Whatsapp. É possível, inclusive, recuperar eventuais comunicações que tenham sido apagadas.

Flávio Bolsonaro disse ter saído da reunião com Galloro confiante no trabalho da PF, apesar de só terem quatro dias de investigação. “Ele nos mostrou que a equipe está empenhada em solucionar”, disse.

Na conversa, disse Flávio, Galloro comunicou aos filhos de Bolsonaro as mudanças no esquema de segurança que foram conversadas com os coordenadores de campanha dos outros presidenciáveis, no sábado. Assim como para os demais, o efetivo do candidato do PSL aumentará para 25 policiais, em regime de escala.

Mais cedo, a Polícia Federal divulgou nota dizendo que visa a identificar “todas as possíveis conexões e motivações do crime”. Além dos dados financeiros, serão analisadas informações em imagens, mídias, computadores, telefones e documentos apreendidos, diz o comunicado. (Juliana Braga)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao