Galerias ficarão fechadas durante votação de cassação de Cunha

Coluna do Estadão

12 de setembro de 2016 | 14h36

Por decisão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), as galerias do plenário ficarão fechadas ao público durante a sessão em que deverá ser apreciada a cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Os únicos que poderão ter acesso são jornalistas credenciados e servidores da Casa. Segundo a assessoria técnica da Câmara, não foi comunicada nenhuma justificativa para a interdição das galerias. Tal medida, no entanto, pode ser revista até o início da sessão, marcada para as 19h.

As galerias comportam até 200 pessoas e, normalmente, ficam abertas durante as sessões de deliberação da Casa.

Até as 14h,30, a Câmara registrava 147 deputados na Casa. (Erich Decat)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.