‘Gaeco’ da Lava Jato é opção para Dallagnol

‘Gaeco’ da Lava Jato é opção para Dallagnol

Coluna do Estadão

16 de outubro de 2019 | 06h00

Procuradores da Lava Jato em Curitiba acreditam que Deltan Dallagnol poderá se candidatar ao cargo de procurador regional, para atuar na segunda instância do Ministério Público Federal, caso a força-tarefa seja substituída por um grupo permanente de investigação, nos moldes do “Gaeco”. Esta seria a “saída honrosa” para Dallagnol do front da Lava Jato sem que sua decisão indique “desistência” ou “abandono” das investigações após a divulgação de conversas privadas dele e de integrantes de sua equipe com o então juiz Sérgio Moro.

Data. A estimativa dos próprios procuradores é que a temida força-tarefa na capital paranaense cumpra sua missão num prazo “menor que um ano”.

Modelo. A ideia tem inspiração nos Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) dos MPs estaduais e os argumentos são de que todo o trabalho e a expertise da Lava Jato nos últimos cinco anos não podem ser perdidos com a desmobilização da força-tarefa.

Desanuviar. Dallagnol tem sido aconselhado a avaliar a promoção, hipótese revelada pelo Estado. Um integrante do MPF diz que um dos argumentos apresentados a ele é a necessidade de “distensionamento” do cenário político e do próprio sistema de Justiça.

Na balança. O procurador estaria sensibilizado com o “ganho pessoal” da medida, mas se preocupa com a mensagem que ela transmitirá. A decisão pela promoção cabe ao Conselho Superior do Ministério Público Federal, presidido pelo novo procurador-geral da República, Augusto Aras.

Como luva. A operação da PF contra Luciano Bivar renovou no clã Bolsonaro a esperança de um afastamento dele do comando do partido. Questionado sobre o que muda, Eduardo Bolsonaro respondeu: “Vamos dar tempo ao tempo”.

Harmonia. O deputado Alex Manente (Cidadania-SP), autor da projeto sobre prisão em segunda instância, não vê a inclusão na pauta da CCJ como conflito com o Judiciário. “O STF vai analisar o assunto pela segunda vez em dois anos. É sinal de que o Legislativo precisa pôr fim às lacunas.”

Tabata… Na próxima semana, a Executiva do PDT iria fazer de conta que começaria a resolver a situação de Tabata Amaral, enquanto a deputada por SP continuaria fingindo aguardar a decisão para decidir seu futuro na política.

… se cansou. Porém, até a estátua de Leonel Brizola em Porto Alegre sabia que não havia mais clima para ela permanecer no PDT: a intenção deliberada da cúpula partidária era desgastar a deputada empurrando o caso com a barriga. Tabata se cansou do jogo e foi à Justiça pelo mandato.

CLICK. O papa Francisco perguntou ao vice-presidente Hamilton Mourão quem foi o melhor: Pelé ou Maradona. “Saí-me diplomaticamente: os dois!”, relatou Mourão.

Vamos… O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, vai acelerar a análise do Plano Mansueto, enviado em junho pelo governo para socorrer Estados e municípios.

…adiante. A pedido dos governadores, Maia decidiu levar a discussão diretamente ao plenário, sem passar por comissão especial. Pediu aos deputados Beto Pereira (PSDB-MS), Pedro Paulo (DEM-RJ) e André Figueiredo  (PDT) pareceres sobre a proposta para escolher entre eles o relator. Em sua análise, André Figueiredo sugeriu facilitar empréstimos para os Estados com rating B. Como veio a proposta, eles tinham mais exigências do que os com rating C, mais endividados.

PRONTO, FALEI!

Deputado Hélio Lopes. Foto: Bruno Peres/Lid. PSL

Do deputado federal, Hélio Lopes (PSL-RJ): “A PF está acompanhando e faz um bom trabalho. Só quem pode falar sobre irregularidades é ela ou o próprio Bivar”, sobre operação contra presidente do PSL.

COM REPORTAGEM DE JULIANA BRAGA, ALBERTO BOMBIG E EDUARDO KATTAH

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: