Futuro de Doria já faz ferver o Bandeirantes

Futuro de Doria já faz ferver o Bandeirantes

Coluna do Estadão

18 de novembro de 2020 | 05h00

Foto: Governo SP

Antes mesmo de terminadas as eleições municipais, as costuras políticas que têm no horizonte a disputa pelo governo de São Paulo se intensificaram nos principais partidos, seja porque os candidatos a prefeito da capital do Estado, Bruno Covas e Guilherme Boulos, são apontados como nomes fortíssimos para 2022, seja porque no Palácio dos Bandeirantes os bastidores esquentam e no grau de ebulição está a secretária Patrícia Ellen (Desenvolvimento Econômico), cada vez mais em exposição por conta do plano estadual de combate à covid-19.

Diálogo reaberto. João Doria recebeu ontem Geraldo Alckmin, nome sempre lembrado quando o assunto é governo do Estado, para almoço no Bandeirantes. Fizeram balanço dos resultados colhidos até aqui pelo PSDB em São Paulo. Diante do saldo positivo, brindaram com guaraná.

No azul… Com as quase 180 prefeituras conquistadas no Estado (algumas ainda sub judice) até agora, Doria se fortalece para a reeleição. Se ele quiser concorrer, a vaga será dele.

…amarelo. Porém, como o governador também mira o Planalto, Alckmin, Ellen e o atual vice, Rodrigo Garcia (DEM), sonham com a vaga de candidato ao governo.

Animada. O arrojo de Patrícia Ellen desagrada a colegas dela e ao DEM.

CLICK. Nas redes sociais, comparações entre Kamala Harris e Patrícia Ellen: secretária sonha ser candidata ao governo de SP ou vice de Doria à Presidência em 2022.

Reprodução/Instagram

Fortes. Covas e Boulos, ganhando ou perdendo, estarão vitaminados para o governo, sem falar de Márcio França (PSB).

No jogo. Líderes do PT debateram o tema ontem: entendem que ainda têm força para o governo e possuem nomes como Aloizio Mercadante, José Eduardo Cardozo e até Fernando Haddad. Mas sem fechar a porta para outras legendas.

Mais um. Afastado da campanha de Celso Russomanno, o presidente do Republicanos, Marcos Pereira, deverá apoiar a reeleição de Bruno Covas (PSDB). Como a Coluna antecipou no domingo, o partido oficializou o apoio ao tucano.

Agora sim. Pereira não entrou no primeiro turno para se resguardar do embate com partidos da centro-direita. Ele é candidato à presidência da Câmara dos Deputados no ano que vem e temia que a disputa municipal acabasse por atrapalhar seus planos.

Juntos. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), ligou para Guilherme Boulos (PSOL) para declarar apoio e desejar boa sorte no segundo turno. Flávio Dino (PCdoB-MA) fez o mesmo em rede social. A disputa em São Paulo tornou-se esperança nacional para partidos de esquerda.

Tá no DNA. Chamado de “inexperiente” por Marília Arraes (PT), João Campos (PSB) deve reforçar neste segundo turno no Recife sua ligação com o pai, Eduardo Campos, morto em 2014. O candidato traz a política no DNA e já criou uma nova corrente, o “eduardismo”.

SINAIS PARTICULARES.
Eduardo Campos e João Campos, ex-governador de Pernambuco falecido e o filho, candidato à prefeitura do Recife

Ilustração: Kleber Sales

Deu… O deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB-SP, decidiu renunciar ao cargo de secretário-geral da Executiva Nacional do partido, posto que ocupa há mais de 15 anos.

…pra mim. Segundo ele, “por entender que a renovação política e partidária é salutar”. Campos pediu para ficar fora do Diretório Nacional. O mandato dele ia até dezembro de 2022.

PRONTO, FALEI! 

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Rodrigo Agostinho, deputado federal (PSB-SP): “O mesmo governo que afrouxa a legislação ambiental agora promete entregar os importadores de madeira ilegal. Será que ainda vão negar o aumento do desmatamento?”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. 

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.