Fusão de Antaq e ANTT preocupa empresários

Fusão de Antaq e ANTT preocupa empresários

Coluna do Estadão

28 de dezembro de 2018 | 05h00

A intenção de Jair Bolsonaro de fundir as agências Antaq e ANTT, que regulam os transportes aquaviários e terrestres, causou reação de empresas da área. O futuro ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, precisou reunir ontem entidades para explicar o novo modelo. Uma das preocupações é que as agências têm estrutura enxuta e não dão conta da demanda. Nesse novo sistema, o número de processos será maior, o que leva a uma outra apreensão: processos de um setor específico serão analisadas por servidores especializados em outras áreas.

Papo reto. Na reunião, o futuro ministro disse que a orientação de Bolsonaro é facilitar a vida do usuário, desburocratizar, dar previsibilidade e segurança jurídica. E que as críticas do setor ao atual modelo das agências reforçam a necessidade de mudança.

Aperto de mão. Ao fim do encontro, representantes dos setores de logística, portos, ferrovias e cabotagem prometeram a Tarcísio de Freitas apoio às medidas que garantam simplificação e maior eficiência.

Ela não. Pessoas próximas ao futuro ministro da Infraestrutura negam que a Anac, que regula a aviação civil, também será fundida à Antaq e à ANTT.

Carregada. As promessas de candidatos à presidência da Câmara para obter voto já extrapolam a oferta de cargos dentro da Casa. Há quem ofereça, inclusive, a liberação de emendas com o apoio de amigos ministros na Esplanada que ainda possuem tinta na caneta.

Quem tudo quer… O PP da Câmara, liderado pelo deputado federal Arthur Lira (AL), está de olho na relatoria da Comissão Mista de Orçamento, na presidência da Comissão de Constituição e Justiça e na vice-presidência da Casa.

…nada tem. A legenda negocia os cargos em troca do apoio à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara.

Olha o Collor aí. Em jantar de fim de ano na casa de Rodrigo Maia, na presença de Fernando Collor, comentou-se sobre a situação de Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio Bolsonaro. Um dos presentes mencionou PC Farias. Foi advertido para que falasse baixo.

SINAIS PARTICULARES — A SÉRIE

OS NOVOS MINISTROS

Osmar Terra, Cidadania; por Kleber Sales.

Ficam os dedos… O governador eleito do Rio, Wilson Witzel, vai negociar com Jair Bolsonaro mudanças no acordo de recuperação fiscal do Estado para rever a obrigação de licitar a Cedae, hoje superavitária.

…vão se os anéis. No lugar, quer oferecer como garantia recebíveis de quase R$ 5 bilhões que a própria companhia tem de crédito com a União. A dívida do Rio hoje com o governo federal é de aproximadamente R$ 2,9 bilhões.

CLICK. O general Villas Bôas se despediu, pelo Twitter, da intervenção no Rio de Janeiro. “Cumpriu sua missão”, postou. Ele participou do evento de encerramento ontem.

Reprodução/Twitter

Na ponta do lápis. O futuro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, estipulou como prioridade a reestruturação das compras da Atenção Básica à Saúde. A ideia é criar distritos agrupando municípios com menos de 200 mil habitantes para aumentar o poder de barganha nas licitações.

Agora vai. Já Gustavo Canuto, novo ministro do Desenvolvimento Regional, traçou como meta a ser cumprida nos primeiros cem dias de governo a conclusão da transposição do Eixo Norte do São Francisco.

Calma, gente! Apesar da posse no dia 1.º de janeiro, os ministros só assumirão seus postos no dia 2.

PRONTO, FALEI!

“O Criança Feliz revoluciona a atenção à primeira infância, fortalecendo o desenvolvimento cognitivo logo no início da vida. Daqui a poucos anos, o Brasil verá os resultados”, DA PRIMEIRA-DAMA DA REPÚBLICA, MARCELA TEMER, sobre a continuidade do programa.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao