Frente com 300 congressistas vai discutir plano nacional contra violência

Frente com 300 congressistas vai discutir plano nacional contra violência

Leonel Rocha

16 de outubro de 2017 | 22h44

FOTO: DEPUTADA YEDA CRUSIUS

 

O crescimento nos índices de violência no País mobilizou mais de 300 deputados e senadores que criam, nesta terça-feira, a Frente Parlamentar Mista de Prevenção à Violência. O objetivo é criar um plano nacional a ser executado em conjunto pela União, governos estaduais e prefeituras e implantado em conjunto nas áreas da educação, saúde, justiça, ação social, meio ambiente, direitos humanos e segurança pública.

A reorganização dos mecanismos de Estado para prevenir a violência, segundo a proposta apresentada pela deputada Yeda Crusius (PSDB-RS), prevê a adoção de mecanismos de participação da sociedade, entre eles referendum a ser votado pela população para chancelar decisões tomadas pelo Congresso.  “A violência é a maior epidemia que o país enfrenta hoje. E o tráfico de drogas é a pior delas”, argumenta a deputada.

Além do diagnóstico sobre as causas e o crescimento das taxas de violência no país, a Frente vai propor a criação de novos instrumentos de avaliação da gestão de programas a serem implantados pelos governos federal, estaduais e municipais. Segundo Yeda Crusius, o setor privado também deve ser envolvido na pauta e cita as organizações do terceiro setor como importantes nestas ações.

Entre os mecanismos de combate à violência que a frente vai discutir está a fiscalização da execução orçamentária das ações do Executivo previstas nos planos de cada ministério. “O que faltou nos programas das UPPs do Rio de Janeiro foi um conjunto de ações complementares”, comentou a deputada. “Também v amos discutir as várias formas de violência, inclusive na política”, acrescentou.