Filho diz que Sérgio Machado desviou dinheiro para bancar candidatura ao governo

-

Andreza Matais e Fábio Fabrini

15 de junho de 2016 | 15h38

Na delação premiada de Expedito Machado, filho de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, ele conta que além da propina para políticos, o pai também desviou dinheiro para realizar o sonho de ser candidato a governador. Seu papel era ajudar o pai a esconder o dinheiro.

Did, como é conhecido, disse aos investigadores que enganou um irmão, chamado Sérgio Machado, para que ajudasse a esconder os valores de propina até que o dinheiro fosse colocado num trust.

“QUE destinou a maior parte destes recursos a políticos e resolveu reter uma parte para uma futura campanha a governador, seu grande sonho; que esses políticos eram Renan Calheiros, Romero Jucá, José Sarney, Edison Lobão e Jader Barbalho.”

“Que a passagem dos direitos econômicos da conta para o depoente ocorreu no início de 2009, quando foi constituído um trust junto ao HSBC Trust Company do qual o depoente era o beneficiário.”

“Que o valor total de propina recebido no HSBC equivalia à época ao montante de R$ 72 milhões e 934 mil reais.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: